IGREJA ESPÍRITA CRISTÃ DE SÃO MIGUEL ARCANJO

IGREJA ESPÍRITA CRISTÃ DE SÃO MIGUEL ARCANJO
SEMEAR E DIFUNDIR A UMBANDA BRANCA INDÍGENA (UMBANDA DE CABOCLOS). PRESTAMOS ATENDIMENTO ESPIRITUAL, TOTALMENTE GRATUÍTO. A CARIDADE É A FORÇA DE NOSSA FÉ. NOSSO HORÁRIO DE TRABALHO É: AOS SÁBADOS DAS 19:00 ÀS 22:00HS. ENDEREÇO: RUA PEDRANÓPOLIS Nº 1313, VILA DIRCE (PRÓXIMO AO CDHU), CARAPICUÍBA, SÃO PAULO - BRASIL. PENSAMENTOS DE UM ALAGOANO, SEGUNDO NOSSO MENTOR ESPIRITUAL: DR. JOSÉ APARECIDO DA SILVA (VULGO: ZÉ PILINTRA D0 BORÉO): O QUE ESTÁ ACONTENCENDO COM A VERDADEIRA UMBANDA INDÍGENA BRASILEIRA. SABE-SE, QUE A NOSSA UMBANDA COM O PASSAR DOS SÉCULOS, SOFREU MUITAS ALTERAÇÕES NOS SEUS RITUAIS E CREDOS, CONTUDO A RAIZ DE NOSSA RELIGIÃO, POIS ESTA SIM É UMA RELIGIÃO EXCLUSIVAMENTE BRASILEIRA, TAMBÉM SE PERDEU. HOJE ENCONTRAM-SE ADEPTOS QUE ACREDITAM QUE NOSSA RELIGIÃO TEVE SUA ORIGEM NO CANDOMBLÉ, ENTRE OUTROS ABSURDOS. NÃO TEMOS NADA CONTRA O CANDOMBLÉ, O RESPEITAMOS, COMO TAMBÉM RESPEITAMOS TODAS AS DEMAIS RELIGIÕES, OS RESPEITAMOS COMO NOSSOS IRMÃOS, FILHOS DO MESMO DEUS. CONTUDO ISTO NÃO IMPLICA EM ACEITARMOS PENSAMENTOS ERRÔNEOS COMO ESTE ACIMA MENCIONADO. A UMBANDA JÁ ERA PRATICADA PELOS ÍNDIOS QUE HABITAVAM NOSSO PAÍS, SÉCULOS ANTES DA CHEGADA DE CABRAL, BEM COMO OS NEGROS JÁ PRATICAVAM O SEU CANDOMBLÉ NAS PLAGAS AFRICANAS, BEM ANTES DA CHEGADA DOS POVOS BRANCOS, SENDO ASSIM ENTENDEMOS ESTAS POR DUAS RELIGIÕES DISTINTAS DENTRO DO CAMPO ESPIRITUAL, CADA UMA COM SUA ORIGEM, CREDOS E DOGMAS DIFERENTES, NÃO PODENDO NUNCA SEREM CONFUNDIDAS COM UM SÓ. QUEM ESQUECE OU DESCONHECE SUAS PRÓPRIAS RAÍZES, SEU PASSADO, NÃO PODE CAMINHAR NUM FUTURO PRÓSPERO, A INFORMAÇÃO CORRETA É A CHAVE DA EVOLUÇÃO MATERIAL E ESPIRITUAL, CABE A CADA UM BUSCAR A SUA.............A VERDADE NÃO É PROPRIEDADE DE ALGUÉM, CABE CADA UM BUSCAR A SUA.........

sábado, 12 de dezembro de 2009

VAMOS A LA PRAIA!!!!!

NO PRÓXIMO DIA 19 DE DEZEMBRO IREMOS A PRAIA, OS CUSTOS DA VIAGEM E DESPESAS SERÃO COMENTADOS DURANTE OS TRABALHOS DE HOJE E MAIS TARDAR QUINTA, DUVIDAS PROCUREM A DIREÇÃO DA IGREJA.

ATENÇÃO MUDANÇA NOS DIAS DE FUNCIONAMENTO DE NOSSA IGREJA

INFORMAMOS QUE APARTIR DE 04 DE JANEIRO DE 2010, NOSSOS TRABALHOS SERÃO NOS DIAS DE SEGUNDA E QUARTA FEIRA, SENDO Q EM UM DESTES DIAS SERÁ DESTINADO AO CORPO MEDIUNICO. MAIS DETALHES EM BREVE.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Nossa Senhora dos Navegantes


Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.



Nossa Senhora dos Navegantes é um título dado a Mãe de Jesus, Maria.
A fé e a designação Nossa Senhora dos Navegantes, tem início no século XV, com a navegação dos europeus, especialmente com os portugueses. As pessoas que viajavam pelo mar pediam proteção à Nossa Senhora para retornarem aos seus lares. Maria era vista como protetora das tempestades e demais perigos que o mar e os rios ofereciam. A primeira estátua foi trazida de Portugal junto com os navegadores. Nossa Senhora dos Navegantes é também conhecida pelo nome de Nossa Senhora das Candeias, Nossa Senhora da Boa Viagem e Nossa Senhora da Esperança. Em Pelotas, no estado do Rio Grande do Sul, a imagem de Nossa Senhora dos Navegantes vai até o Porto de Pelotas. Antes do encerramento da festividade católica acontece um dos momentos mais marcantes da festa de Nossa Senhora dos Navegantes em Pelotas, que em 2008 chegou à 77ª edição.
A fé no Brasil
A fé em Nossa Senhora dos Navegantes chegou ao Brasil através dos navegadores portugueses e espanhóis. Em Porto Alegre, cidade de colonização açoriana Nossa Senhora dos Navegantes foi declarada padroeira da cidade. Todos os anos é realizada em Porto Alegre uma procissão fluvial no Rio Guaíba. Na festa de 2008 em Porto Alegre à procissão em honra a Nossa Senhora dos Navegantes reuniu mais de 100 mil pessoas.
Nossa Senhora dos Navegantes em Portugal
Nossa Senhora dos Navegantes é, também em Portugal, associada ao mar e à proteção dos marinheiros pela Santa Mãe de Deus. Mas a diferença é que os portugueses associam-na, principalmente, às comunidades pescatórias. A sua festa realiza-se a 15 de Agosto com procissões em várias comunidades de pescadores por todo o país. Uma das grandes festas a Nossa Senhora dos Navegantes realiza-se em Cascais entre os dias 3 e 15 de Agosto. Durante esta semana, a população reúne-se na
Baía de Cascais para uma grande mostra gastronómica e artesanal e ainda o lançamento de fogo de artifício todos os dias. No final, dia 15, festeja-se Nossa Senhora dos Navegantes numa procissão pelas ruas da vila de Cascais e depois de barco até meio da Baía onde se dá a Benção do mar e da vila. Esta festa é também realizada na Costa da Caparica.
Consta que o início da devoção à Nossa Senhora dos Navegantes originou-se na Idade Média por ocasião das Cruzadas, quando os cristãos invocavam a proteção de Maria Santíssima. Sob o título de "Estrela do Mar", rogavam sua proteção os cruzados que faziam a travessia pelo Mar Mediterrâneo em direção à Palestina. É a padroeira não só dos navegantes, mas também de todos os viajantes. Tal tradição foi mantida entre os marítimos e foi difundida pelos navegadores portugueses e espanhóis, disseminando-se entre os pescadores litorâneos principalmente nas terras colonizadas pela Espanha e Portugal. As conseqüências foram a multiplicação de capelas, igrejas e santuários nas regiões pesqueiras, particularmente no Sul do Brasil, onde a concentração de cidades que a veneram como padroeira é significativamente expressiva.

Oração à Nossa Senhora dos Navegantes
Ó Nossa Senhora dos Navegantes, Santíssima Filha de Deus, criador do céu, da terra, dos rios, lagos e mares; protegei-me em todas as minhas viagens.
Que ventos, tempestades, borrascas, raios e ressacas não pertubem a minha embarcação e que nenhuma criatura nem incidentes imprevistos causem alteração e atraso na minha viagem ou me desviem da rota traçada.
Virgem Maria, Senhora dos Navegantes, minha vida é a travessia de um mar furioso. As tentações, os fracassos e as desilusões são ondas impetuosas que ameaçam afundar minha frágil embarcação no abismo do desânimo e do desespero.
Nossa Senhora dos Navegantes, nas horas de perigo eu penso em vós e o medo desaparece; o ânimo e a disposição de lutar e de vencer torna a me fortalecer. Com a vossa proteção e a bênção de vosso Filho, a embarcação da minha vida há de ancorar segura e tranqüila no porto da eternidade. Nossa Senhora dos Navegantes, rogai por nós.

sábado, 28 de novembro de 2009

NOSSA LUTA PELA SEGURANÇA LOCAL.

DEVIDO A UMA SÉRIE DE ATOS HOSTIS CONTRA A NOSSA IGREJA, ESTAMOS TOMANDO MEDIDAS MAIS ENÉRGICAS CONTRA ESTES ALGOZES. TEMOS SOFRIDO UMA SÉRIE DE ATAQUES DIRETOS E INDIRETOS, PROVOCADOS POR ALGUNS DE NOSSOS VIZINHOS. ORA PRATICAM UM VERDADEIRO TERRORISMO ATINGINDO NOSSA SEDE COM PEDRAS, CHEGANDO AO PONTO DE UMA VEZ ATIRAREM UM MORTEIRO DENTRO DE NOSSAS DEPENDÊNCIAS, FELIZMENTE O RECINTO SE ENCONTRAVA VAZIO E NÃO HOUVE VÍTIMAS. CONTUDO NOSSA IGREJA É FREQUENTADA POR UM GRANDE NÚMERO DE PESSOAS, INCLUINDO-SE AÍ, MULHERES IDOSAS, CRIANÇAS E GESTANTES, O FOI UM ATO IMPENSADO PODER SE IA TRANSFORMAR EM UMA TRAGÉDIA. ORA PERTURBAM A PAZ NO LOCAL SE UTILIZANDO DE APARELHOS SONOROS E DEMAIS AFINS, COM O PURO INTUITO DE INTERFERIR E PREJUDICAR NOSSAS ATIVIDADES, MAS QUE FIQUE BEM CLARO PARA ESTAS PESSOAS QUE, JÁ TOMAMOS AS MEDIDAS CABÍVEIS NECESSÁRIAS E RECORREMOS AOS MEIOS LEGAIS PARA OBTERMOS O SUPORTE NECESSÁRIO PARA O DESENVOLVIMENTO DE NOSSAS ATIVIDADES.
MUITO OBRIGADO.

SALVE SÃO MIGUEL ARCANJO


MAIS UM TEXTO SOBRE A PAJELANÇA INDIGENA.

Pajelança - O Xamanismo Brasileiro

É provável que a palavra Pajé venha da raiz pa-y = profeta, adivinho, curador, sacerdote, xamã. O termo pajelança é aplicado nas manifestações xamânicas dos índios brasileiros. Pode ser divido em pajelança indígena (rituais indígenas) e pajelança cabocla, que são praticas religiosas (não indígenas) mais comuns no Norte e Nordeste brasileiro. Há anos atrás, o amigo Walter Vetillo foi a Belém fazer uma reportagem para a Revista Planeta, cobrindo o VI Congresso Brasileiro de Parapsicologia e Psicotrônica onde se realizaou um Encontro de Pajés. Parte da matéria transcrevo abaixo :
Afinal... Quem são os pajés?
Existe muito pouca coisa publicada no Brasil sobre este fascinante assunto. Uma contribuição preciosa foi o depoimento do estudioso dos mistérios amazonenses, Antonio Jorge Thor. Thor comenta o xamanismo e a pajelança: “Um aspecto curioso deste assunto é que nos Estados Unidos, quando se fala em xamanismo, muitas linhagens dos xamãs são mulheres no Brasil não; aqui pajé é sempre somente do sexo masculino - primeira geração, que passa de pai para filho. Para ser um pajé, o candidato deve ser um paranormal e médium ao mesmo tempo. Ou seja, deve ter muita força mental (paranormalidade) e a mediunidade, que mexe com a bioenergética, com as partículas biocósmicas (provocam a expansão da consciência fora da matéria, o espírito, por exemplo), enfim aquela coisa da espiritualidade. Entre as diversas tribos, como os Kraôs, caiapós e gaviões, varia muito o conceito de pajelança, mas eles têm alguma coisa em comum: o misticismo, o segredo. Você às vezes passa um longo tempo para conseguir uma informação, um segredo, como por exemplo, sobre um não-alucinógeno para você sair com facilidade do corpo (desdobramento). O pajé penetra na área da encantaria, outra vertente da grande magia que pouca gente conhece que é passar para outra dimensão e muitos deles quando retornam dessa experiência, voltam curados. Eu fui iniciado pelas mãos de uma curandeira de terceira geração que foi tratada pelos pajés. Doente, ela passou algum tempo desaparecida e quando retornou, além de curada veio com dons incríveis. A pajelança é uma forma de magia nativa da Amazônia, tipicamente indutiva, atuando sobre qualquer elemento vivo e mantendo estreita relação com os demais reinos da natureza: mineral, vegetal e animal. É praticada por curandeiros (principalmente pelos pajés da Amazônia), com base no xamanismo indígena. Pelas suas ações, o xamã tenta estabelecer contato com outras formas de existência através de comunicações com entidades sobrenaturais, procurando restabelecer o equilíbrio perdido entre a natureza e a mente. Esse processo envolve curas, exorcismos, e outros atos com objetivos diversos. A visão holística da cultura xamanista não pode ser esquecida fornecendo ao pajé um importante elo que o integra ao todo. Nesse sentido Fritjot Capra, em ponto de Mutação, sintetiza: "A característica predominante da concepção xamanista de doença é a crença de que os seres humanos são partes integrantes de um sistema ordenado em que toda a doença é conseqüência de alguma desarmonia em relação à ordem cósmica. Com grande freqüência, a doença também é interpretada como castigo por algum comportamento imoral. A pajelança autêntica abrange os pajés reunidos no conceito de "alta pajelança", cujos segredos são guardados a sete chaves - haja vista não terem interesse em que profanos venham a desfrutar dessas dádivas. Ela se subdivide em duas correntes:
· Pajelança de "conta branca”: Atua em favor do bem, curando principalmente doenças físicas e mentais e resolvendo problemas do cotidiano da comunidade.
· Pajelança de "conta negra”: Atua em favor do mal. Visa facilitar a vitória na guerra com outras tribos ou a disputa de guerreiros para se tornar líderes. Serve também para matar ou adoecer uma vítima, sendo que em alguns casos é usada para dificílimos trabalhos de cura.
A verdadeira pajelança é restrita a uma minoria que ostenta os segredos e poções mágicas que rejuvenescem, curam, matam, provocam viagens astrais e outras grandes iniciações. Atualmente, existem poucos pajés desse tipo no Brasil. A presença da mulher é vedada. Já a pajelança paralela (segunda geração) envolve as várias formas de curandeirismo popular - principalmente as rezadeiras e benzedeiras, que trazem no sangue a eugenia nativa, além de estar representadas em alguns rituais da Umbanda. Finalmente, a pajelança afim (terceira geração) engloba o curandeirismo popular originado da pajelança mater, porém com atuação mais aberta que a anterior. Apresenta influências visíveis de outras magias, seitas, misturando-se a outras culturas folclóricas e crendices de povos diversos. É a pajelança com maior influência no Brasil, e suas benzedeiras, que utilizam ervas e rezas para tirar o "quebranto”, muitas vezes conseguem imbuir-se de dons que são inerentes aos pajés. Já as rezadeiras, embora sejam incluídas nesse grupo, são originárias do Nordeste, submetendo-se assim a uma influência maior do catolicismo. A pajelança deve ser usada por quem realmente a domina, manipulando o universo de magias que a constituem. A princípio todos os métodos usados são indutivos, sincronizados a um objeto (instrumento de poder) e resguardado pelos dons natos do pajé. Sua maior finalidade está na força de cura ou no resultado que produz a partir de três fatores básicos:
1. Força Mental - É um dos instrumentos fundamentais de um pajé. Existe um arquétipo-modelo que fornece meios para a paranormalidade aguçar-se à medida que o pajé passa a usar elementos oriundos da natureza: comer determinadas frutas ou raízes, ingerir certas bebidas sagradas através de fórmulas secretas, etc. Esse complexo aguça a paranormalidade e está associado a outros exercícios como a entonação de mantras.
2. Sincronia de elementos - Constitui o poder de invocar elementos das diversas dimensões através de cânticos mântricos e imagens. Quando associado à natureza, esta força ostenta a verdadeira fórmula que muitos pajés, bruxos e outros magos guardam a sete chaves. O próprio maracá, quando sacudido cadencialmente, cria uma estrutura energética que permite a abertura para a paranormalidade.
3. Agentes auxiliares - O auxílio a esses trabalhos provém de seres de diversos planos dimensionais invocados para operar como reforço, com os elementos da natureza, os encantados (seres energéticos de outras dimensões) e outros agentes chamados "tetaianos", ou seja, otimizados pelas comunicações biocósmicas (espíritos de pajés e de outros seres).
Um elemento indispensável na pajelança é o maracá. O maracá de um xamã é recebido ou confeccionado durante a iniciação, sendo, portanto, sagrado para ele. Em alguns casos é passado de pai para filho; ou ainda, o "escolhido" é induzido a achá-lo mediante as regras impostas pelo ritual de iniciação. Outro elemento fundamental é o tauari, uma espécie de charuto natural semi-oco que ajuda o pajé a defumar o local ou a pessoa em questão. O charuto, com sua fumaça cheirosa, objetiva imantar o ambiente e criar uma atmosfera toda especial, para facilitar os contatos que o pajé queira fazer. Se o maracá e o charuto são importantes para um pajé, pois assumem significados sagrados em suas mãos, existem outros elementos secundários usados ao longo dos trabalhos desenvolvidos.
· Mascar certos vegetais ou mesmo cheirá-los, ou até mesmo comer ou beber, também faz parte do ritual de entrada de um xamã. Essa situação varia muito de pajé para pajé, de trabalho para trabalho, dependendo do objetivo visado. O importante é que eles, usando recursos totalmente naturais, provocam os mesmos efeitos de certos enteógenos.
· Chás ou pós de ervas, alucinógenos ou não, facilitam as viagens e a comunicação, com entidades de outros planos, bem como aguçam a paranormalidade.
· Porções para mascar, feitas com plantas e raízes especiais, desenvolvem a sensibilidade do pajé e facilitam suas viagens, as quais poderão trazer soluções para os casos pendentes.
· Cantos nativos produzem vibrações e facilitam contatos com outros pajés, pessoas ou outros seres invocados nos cânticos.
Dentro dessa estrutura a pajelança é associada a rituais de grande beleza e magia, que extasiam a todos que se envolvem no processo de participação, ou mesmo como meros observadores. Segundo Thor, o perfeito domínio sobre este incrível mundo mágico-natural pode por vezes levar alguns pajés de alta linhagem a alterar suas partículas atômicas, tornarem-se invisíveis e deslocar-se no espaço, surgindo em outros lugares. Aqui vale a pena lembrar as experiências relatadas por Castañeda em seus livros, descrevendo casos semelhantes com Dom Juan e D. Genaro. Geralmente o pajé exerce uma influência muito grande sobre seu povo - sua figura está para a tribo na mesma proporção em que o médico está para a comunidade. Isso faz com que sua importância em destaque assuma uma responsabilidade toda especial sobre os problemas que afligem seu grupo. Por outro lado, como um médico, o pajé segue as normas e obedece as éticas moldadas pela sociedade, e não poderia deixar de assumir um arquétipo blindado para sua tribo. Dificilmente alguma coisa lhe é negada, e ele, com justiça, exerce o poder e goza de fama e do respeito de todos. Os pajés vivem bastante tempo, e os mais poderosos são chamados de sacaca por sinal, o mesmo nome de um conhecido vegetal da Amazônia Oriental, detentor de inúmeras utilidades.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

ASSUNTO URGENTE

INFORMAMOS QUE A DATA DA REALIZAÇÃO DA CELEBRAÇÃO RITUALISTICA A YEMANJÁ, QUE OCORRERÁ NA PRAIA, FOI ALTERADA POR MOTIVOS OPERACIONAIS, SENDO ASSIM ADIADA PARA O DIA 19 DE DEZEMBRO DO CORRENTE ANO, RESSALTO QUE MUITO PROVAVELMENTE NÃO DISPONIBILIZAREMOS DE UM ÚNICO VEÍCULO PARA LEVAR TODOS OS MEMBROS, SENDO ASSIM IREMOS COM CARROS DE PASSEIO (PARTICULARES), CABENDO A CADA UM ARCAR COM OS CUSTOS DE COMBUSTÍVEL E PEDÁGIO DO VEÍCULO NO QUAL O MESMO VIER A OCUPAR, O TOTAL SERÁ DIVIDIDO IGUALMENTE PELO NÚMERO DE OCUPANTES. MAIORES INFORMAÇÕES AGUARDAR PUBLICAÇÃO AQUI, OU PROCURAR A DIRETORIA DA ASSOCIAÇÃO.
MUITO OBRIGADO.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

INFORMARMATIVO

COMUNICAMOS A TODOS OS MEMBROS E ASSOCIADOS QUE:

- NOSSA CELEBRAÇÃO A YEMANJÁ OCORRERÁ NO DIA 12 DE DEZEMBRO DE 2009 (SÁBADO). AGUARDEM MAIORES INFORMAÇÕES AOS TÉRMINOS DOS TRABALHOS;

- IREMOS À PRAIA NO DIA 28 DE NOVEMBRO DE 2009 (SÁBADO). A SAÍDA ESTÁ PROGRAMADA PARA OCORRER AO TÉRMINO DOS TRABALHOS;

- ESTAMOS ESTUDANDO ALTERAÇÕES NOS HORÁRIOS DOS TRABALHOS DE SÁBADO, SE AS MESMAS VIEREM A OCORRER SERAM SOMENTE PARA O ANO QUE VEM, APÓS O TÉRMINO DO HORÁRIO DE VERÃO.

ATT.:

A DIREÇÃO

sábado, 7 de novembro de 2009

OUTRO TEXTO COM O SIMPLES INTUITO DE OFERTAR CONHECIMENTO.

" A Mediunidade na Umbanda"
FONTE BIBLIOGRAFICA: http;//aumbhandhan.tripod.com
"O dom mediunico é o despertar dos dons naturais latentes no próprio ser e inerentes à compromissos feitos na espiritualidade antes do encarne que na sua complexidade vai de causas até os efeitos."

À medida que o ser evolui e moraliza-se,ele adquire maiores faculdades psíquicas e consequentemente aumenta sua percepção espiritual.Há muitos irmãos ainda que atrasados e moralmente incapazes de discenir a faculdade inerente do ser,a Espiritualidade concede a faculdade mediunica para que através dela,o ser encarnado possa se lapidar dos erros pretéritos e ao mesmo tempo fazer com que haja um elo de ligação entre o Plano Espiritual e o Plano Físico.Esta simbiose faz com que haja homogeinidade entre os dois planos,observando o fator primordial que é o grau vibracional(mental, astral e físico) do médium. A mediunidade não é um fenômeno de nossos dias.Sempre existiu desde quando existe o homem,pois, através dela que o Astral Superior pode interferir na evolução do mundo,orientando,guiando,protegendo e dando inspirações e ensinamentos necessários.Não podemos deixar de mencionar o fato que os Guias da Astralidade servem de elementos decisivos para que estas metas sejam realizadas. É bem verdade que antigamente a mediunidade na era conhecida e generalizada nos seus aspectos práticos, nem por isso deixou de ser admitida,estudada e usada para o bem coletivo.Desde as tribos primitivas onde a mediunidade era somente exercida pelos pajés iniciados,passou pela Grécia,Egito,Índia,Pérsia e Roma onde nas escolas e templos iniciáticos,começaram todo um trabalho de preparação e conscientização dos fatores intrísecos do ser,proporcionando na era atual,uma conscientização maior da humanidade gerando assim,várias correntes que direta ou indiretamente contribuem para o despertar do movimento conscencional da humanidade. A mediunidade se apresenta em aspectos muito complexos no qual não nos ateremos.Somente tentaremos descrever os aspectos mais comuns,começando por estes dois tipos:
· Mediunidade Natural;
· Mediunidade Probatória;

Na Mediunidade Natural o espírito já adquiriu suas faculdades maiores.É senhor de uma sensibilidade apurada porque já está num estado de evolução maior,que lhe permite atuar em planos superiores. Na Mediunidade Probatória,foi dado ao médium uma condição psico-etérico-astral que lhe permite servir de instrumento para o Astral Superior e suas manifestações.Este tipo de mediunidade existe devido às dívidas cármicas adquiridas no passado e, trabalhando na Seara Mediunica faz com que o ser possa quitar seus débitos. Ainda podemos subdividir estas divisões em:
· Mediunidade Consciente;
· Mediunidade Semi Consciente;
· Mediunidade Inconsciente;

Mediunidade Consciente --> A entidade que quer se comunicar,aproxima-se do médium e telepaticamente transmite o conteúdo que quer anunciar.Não tendo contato perispiritual,o médium recebe telepaticamente e com sua palavras e o próprio modo de ser, transmite as idéias com maior ou menor clareza e fidelidade,dependendo do estado psíquico do médium,que após tê-la retransmitido,não poderá mais influir na retransmissão,pois o espírito não poderá agir senão sobre o pensamento do médium. Este fenômeno não deve ser confundido com o processo intuitivo pois se manifesta como inspiração momentânea.Este tipo de mediunidade é muito usada por poetas,escritores,pregadores,músicos,etc... A mediunidade consciente muita das vezes é confundida como mistificação,porque usa uma comunicação de que o médium emprega palavras próprias ou termos que constantemente usa de forma sistemática,o que é natural e não se pode estranhar,pois,cada um possui um modo particular de se expressar(determinadas palavras,determinados gestos e sinais) assim como as entidades que têm um modo próprio de iniciar e finalizar seus trabalhos,o que é interessante frisar pois servem para identificá-los. Uma outra situação comum é a dos observadores,estudiosos e até mesmo dos frequentadores dos "terreiros" que fazem confusão entre a falta de cultura e linguajar do médium com a entidade que está se comunicando.Vemos comumente nos centros uma grande maioria de médiuns incultos(sem instrução escolar) e como falar corretamente se quem fala é o médium e não a entidade?À entidade só compete as idéias e não as palavras(neste caso de mediunidade). Outro caso é quando um médium recebe um pensamento elevado,transcendente e com seu vocabulário acanhado não consegue transmitir por não compreendê-lo bem.Desta forma,há um fracasso interior por não conseguir entender e nem expressar a mensagem. A mediunidade consciente é a que permite uma maior interferência do psiquismo do médium denominado por alguns de "animismo"(interferência do inconsciente) e a que tem sido instrumento de crítica injusta como mistificação.
"A repressão do animismo dificultará grandemente as tarefas mediunicas,e por isso não deve ser feita.O mediunismo não dispensa a colaboração do médium,o qual não deve ser um simples automato,um robot"
Ramatís
Mediunidade Semi-Inconsciente (Incorporação Parcial) -->Neste tipo de mediunidade,há entre o médium e a entidade que quer se comunicar um indispensável tom vibratório(afinidade fluídica) e o contato se dá entre a entidade e o corpo astral do médium,que por intermédio deste age sobre o corpo físico,ficando alguns órgãos sobre o controle da entidade.Isso acontece sem que haja o afastamento do espírito do médium,ou sem que ele perca a consciência do que se passa em torno.O médium se encontra numa espécie de semi-transe,sujeito porém à influência da entidade e com dificuldade de interferir sobre ela,salvo se o médium com seu livre-arbítrio quiser intervir.Neste estado a entidade comunicante,ainda que não tendo domínio completo sobre o médium,pode transmitir mais livre e sem qualquer embaraço os seus pensamentos que ficam,é lógico,dependendo da maior ou menor capacidade de transmissão do médium(educação mediunica) e de sua própria intelectualidade. Neste tipo de manifestação,ainda são possíveis se bem que em pequena proporção,as interferências psíquicas no que diz respeito à repetição de palavras e gestos,mas quanto o tipo de apresentação já passa ser,de um determinado modo,da entidade comunicante que já vem mesmo servir de indentidade. Há sessoões em que se repetem inúmeras vezes os mesmos gestos,as mesmas palavras,as mesmas frases em todas as comunicações e no entanto nada há tanto na parte do médium como na parte da entidade,algo que possa ser taxado de mistificação.
Mediunidade Inconsciente (Incorporação Total) -->Vejamos este último aspecto que se caracteriza no fato do espírito do médium afastar-se do corpo físico temporáriamente,ficando ao lado ajudando,ou muitas vezes nesses momentos cumprindo tarefas no plano astral,enquanto que no mesmo instante a entidade encontra o corpo físico inteiramente ao seu dispor e controle.Esta forma é que dá maiores garantias de segurança e autenticidade na comunicação pois a entidade é livre para transmitir suas idéias e pensamentos,sem a necessidade de usar a parte intelectual do médium,que normalmente a faria alterada ou deturpada quando recebida telepáticamente. Neste aspecto da mediunidade inconsciente,o médium se acha muito mais à vontade para se for preciso enfrentar o poder das críticas ou dos estudiosos e também dos consulentes porque em nada interferindo e de nada sabendo no momento da incorporação,a manifestação é total do espírito comunicante,podendo mesmo fazer a extensão da faculdade com maior ou menor perfeição,como por exemplo:a entidade fazer a mesma tonalidade de voz,revelar fatos de suas encarnações passadas,assim como mudar os aspectos físicos do médium (efeito raro).O afastamento do espírito do médium é feito pela entidade comunicante com métodos e processos magnéticos feitos na astralidade.Para isso também concorrem a homogeinidade dos fluídos tornando-os mais suaves ou abruptos,dependendo de quanto mais equilibrado for a vibração de ambos.Em grande parte dos afastamentos do corpo físicos,geralmente o médium quando exteriorizado,continua consciente de que se passa nesse plano,porém quando a entidade comunicante o deixa(desencorpora) de nada se lembra no regresso do corpo físico. Às vezes acontece que os fluídos do médium estão muito abaixo do que os apurados fluídos da entidade,fazendo com que a entidade baixe o seu tom vibracional no momento da incorporação. Para condensá-los com os do médium,e em casos de fluídos pesados e inferiores,haverá quase que sempre sobressaltos de maior ou menor intensidade ou até mesmo sobressaltos violentos no momento da incorporação que repercutirá após o transe mediunico nos órgãos físicos bem como no psiquismo do médium. Neste caso de incorporação total,quando o médium tem o seu cabedal um bom e educado conhecimento mediunico(ético e moral) e suas faculdades são bem desenvolvidas,o médium durante a incorporação,tanto pode permanecer ao lado (como falamos acima) como pode se quiser empregar este tempo(incorporado) em algum trabalho útil.Porém há casos em que a educação mediunica do médium é viciosa,não há tranquilidade nem segurança e havendo isso,o médium não terá a liberdade descrita acima,não acontecerá o afastamento do espírito do médium que quase sempre intervem nas comunicações,criando muita das vezes embaraços para a entidade,que para acalmá-lo,é necessário utilizar de seu magnetismo para adormecê-lo com passes e suavemente afastá-lo para outro local,afim de que a tarefa preposta pela entidade seja levada até o final.Achamos que seja preciso dizer que a ansiedade e o estado inquieto em que permanece o médium durante a incorporação,às vezes não lhe trará um despertar tranquilo,harmonioso e suave.Para tanto é preciso que tudo esteje em ordem no médium,assim como no ambiente.Este deverá estar cheio de amor,harmonia e deverá inspirar confiança porque assim o médium sentirá despreocupado para a incorporação,podendo auxiliar mantendo uma atitude mental de ficar ao lado(sem atrapalhar) auxiliando a entidade à desempenhar sua missão entregando-lhe o corpo físico com boa vontade e espírito de colaboração. Incluem-se nesta modalidade de incorporação as intervenções mediunicas para operações em que o Astral Superior permite que as entidades curadoras baixem e usem as mãos do médium para curar a parte física como espiritual. Para encerrar não poderíamos deixar de escrever,embora que rapidamente,sobre:
· Transe Sonambúlico;
· Transe Sonambúlico Hipnótico;
· Transe Letárgico;
Transe Sonambúlico -->é quando o espírito fala e tem facilidade de mover-se podendo apanhar objetos,sentar e ir para qualquer lugar.
Transe Sonambúlico Hipnótico -->Se difere do processo acima porque nem sempre o espírito do médium pode abandonar o corpo físico,que fica inteiramente à vontade do Magnetizador (Hipnotizador)ao passo que no transe de incorporação,sempre há exteriorização mediunica justamente para que a entidade comunicante ocupe o corpo do médium.Neste processo o espírito do próprio médium é quem fala ao passo que no processo de incorporação,quem fala é o espírito comunicante.
Transe Letárgico -->quando o espírito fala mas o corpo do médium fica imóvel e em total rigidez.
Bem,consideradas e definitivamente vistas estas 3 formas de mediunidade faremos um pequeno resumo:
1. Mediunidade Consciente -->não há incorporação,só aproximação mental.
2. Mediunidade Semi-Inconsciente -->incorporação parcial.
3. Mediunidade Inconsciente -->incorporação total.

A falta de compreensão e de conhecimento detalhado do assunto,tem resultado muita crítica sem fundamento e até descrédito injusto para os médiuns e a Doutrina Umbandística na sua prática.

CONCEITOS DIFERENTES SOBRE A MEDIUNIDADE, DIGO DIFERENTES POIS SÃO ORIUNDOS DE OUTRAS FONTES, ALÉM DA NOSSA DOUTRINA.

RESSALTO QUE ESTES TEXTOS TEEM SOMENTE UMA IMPORTÂNCIA DE CONHECIMENTO, E NÃO DE DOUTRINAR E ENSINAR, SENDO ESTAS FUNÇÕES EXCLUSIVAS DOS TEXTOS ORIUNDOS DOS ENSINAMENTOS DE NOSSOS MENTORES.
SARAVÁ.


CAPÍTULO – I – A MEDIUNIDADE/INCORPORAÇÃO EM SÍ.
Aspectos científicos da mediunidade e a necessária instrução política para os trabalhos mediúnicos entre os espíritas
1) Relação histórica da mediunidade como efeito físico comprovado
A relação metafísica na vida humana remonta milhares de anos no passado. Quando os primeiros primatas predecessores do homo sapiens sapiens surgiram sobre a terra, sua ligação com o "eu" dimensional, extra-físico, já era uma característica pertinente numa mente bastante rudimentar. A imaginação só pode ser exercida com o emprego da fantasia experimentada, isto é, cultos e características míticas dotadas de intenções capazes de evocar o recôndito do invisível. A evolução do espírito humano está relacionado às suas diferentes etapas evolutivas pregadas por Charles Darwin na teoria evolucionista.
Diferentes espécies, como os Ramaphitecos, Australophitecos, Neanderthal e Cro-Magnon, para citar alguns exemplos, existiram e deram sua contribuição biológica até o aparecimento do humano como único membro dessa ancestralidade. Com o advento da agricultura e a sedentarização, a estruturação tribal e cultural ( religião, hierarquia e clãs ), o ser humano passou a concentrar melhor sua ligação com o invisível desconhecido. As ervas naturais utilizadas como remédios, a melhoria do corpo do guerreiro para a guerra, a cópula da procriação e as previsões do Xamã foram as técnicas iniciais para trazer os mortos ao mundo dos vivos. Muitos ao partir, continuaram a cuidar dos animais e plantas, outros dos minerais e das águas, como guardiães da ordem e do equilíbrio na natureza. Freqüentemente eram trazidas pelos pajés – os rituais e o xamanismo politeísta das etnias africanas e americanas – , encontram seu paralelo na busca da resposta: era preciso encontrar no princípio imaterial a junção certa na conduta individual e coletiva. A divindade estava materializada através do sol e da lua, expoentes máximos de beleza e mistério. É a partir desta fase, que a vida humana passa a ter contornos diferenciados na sua relação existencial, modificando a forma de pensar com experiências curiosas, resultando na linguagem desconhecida nas gravuras estranhas e incontestáveis dos curas tribais. Portanto, como podemos ver, o desenvolvimento da mediunidade – uma capacidade psico-física – transcende períodos imemoriais e é puramente orgânica. Não é fruto do intelecto mental, mas pode ser melhorada por este. E só através dele, adquire uma dimensão reguladora e auxiliar dos problemas universais. Mas não basta apenas o controle e a investigação necessária se não houver o desenvolvimento moral necessário. O espírito só alcança o estágio ideal quando exerce duas funções: moral e intelectual. Em diferentes sociedades, sempre foi difícil estabelecer essas duas virtudes, embora ainda sejam imaturas no planeta. Uma prova disso é o desenvolvimento tecnológico utilizado para a guerra. O homem sempre guerreou para sobreviver, sempre desempenhou conduta opressiva sobre seu semelhante. Sua vida é resultado da luta. A luta pela sobrevivência ganhou contornos que envolvem o domínio. Os Estados geográficos definidos surgem através da posse – e posteriormente das armas. Dominar outro ser humano requer a Arte da Guerra, como previra Maquiavel, mas não é a característica adequada aos homens de bem, pois suas medidas deflagram resultados inesperados: a destruição.
Em meio a este milhar de acontecimentos, vimos o progresso científico na Europa dos séculos XV e XVI dividir o antes e o depois – a centralização humana – para desvendar os enigmas existentes sobre as transformações sociais freqüentes que permeiam as diferentes culturas. Existir requer interrogação, se a crença nos espíritos é remota, qual o motivo da negação destes? Efeitos isolados sobre aparições, sonhos e "assombrações" convivem antagonicamente com as limitações religiosas ou alegóricas acerca de sua autenticidade. No íntimo consciente, os espíritos sempre existiram. A capacidade de entendimento varia de acordo às necessidades conjunturais, isto é, acreditamos naquilo que somos e sua conseqüência direta são os códigos e linguagem que estabelecemos entre nós. Para uns a bruxaria, outros a veneração. Muitas especulações atreladas a psicologismos pessoais, intuição exercitada, nada concreto. O homem continuava absorto em pensamentos, como ainda está. Sua disposição cerebral ainda não é plenamente capaz de desvendar o alcance mental pleno. Inúmeras faculdades cerebrais são comprovadamente condizentes com a evolução humana em seus complexos mecanismos de execução. Pensar requer além da imaginação, harmonia e predisposição física.
Em rota contrária verificamos em séculos anteriores, o instrumental mediúnico dos egípcios. Essa civilização é tão antiga quanto os povos do Oriente Meridional ( chineses e japoneses ), desenvolvendo em sua época pesquisas intrinsecamente ligadas à prática dos médiuns. Notáveis avanços na medicina, astrologia e cultismo aos "mortos" em meio a diversos rituais de ordem espiritual estão expostos nos hieróglifos das pirâmides milenares. Como vimos, estar ligado fisicamente a seres humanos "imateriais" não é coisa nada incomum.
2) A mediunidade do ponto de vista materialista – coerção e significados, sua aceitação no mundo.
Até o surgimento da sistematização da doutrina espírita no século XIX, o referencial empírico – por meio de algumas experiências isoladas – servia de base as mais diversas explicações possíveis acerca dos espíritos. O efeito, como dissertamos, e não o fenômeno, como se atribui o milagre, está organicamente predisposto no organismo humano. Evidentemente que Allan Kardec não foi o único cientista que notabilizou avanços e descobertas surpreendentes com as obras iniciais de estudos na Europa. A França atravessou em período de descobertas literárias, sociológicas e culturais que nenhum outro país teria naquele momento. A própria organização na espiritualidade tratou de discutir e determinar a região no continente como única capaz de abrigar envolvidos no trabalho espírita – a ‘ciência dos espíritos’ estava pronta para germinar. O período que vai do século XVII e início do XVIII, demonstra um rompimento teocêntrico com a mentalidade metafísica. As estruturas medievais da Igreja estão em crise com as descobertas da navegação marítima e da física matemática de Isaac Newton. O discurso do homem como centro do universo e a descentralização da Terra como massa composta universal. Não é à toa que escritores brilhantes escreviam obras tão céticas em seus contextos de fé: "Se penso, logo existo". O existencialismo cartesiano e o materialismo dialético – embora este em condições filosóficas ligadas a explicação natural dos meios de produção com Karl Marx – se propagam como correntes opostas numa Europa divida etnicamente e historicamente. O pensamento humano se diversificou, e não é estranho que muitos ainda não pensem que o surgimento do sistema da doutrina dos espíritos está ligadas aos movimentos burgueses de verificação puramente sociológica. Dúvida que a meu ver, foi sanada no século XX. Com a encarnação de médiuns altamente progredidos como Divaldo Franco e Francisco Xavier, as possibilidades de registro e manuseio experimental de encarnados/desencarnados chegou a diagnósticos importantíssimos. O espiritismo passou a ser estudado em todo mundo ao invés de ser tratado como alegoria ou folclore popular. Como a América Latina, em particular o Brasil, está envolto numa miscigenação étnica de proporções gigantescas, a variedade de cultura e suas reciprocidades religiosas, tornou-se uma evidência constante. Até porque os efeitos em suas formas de expressão, tais como a Umbanda, o Candomblé, a Quimbanda, as seitas oferendistas de caráter menos complexo e a própria religião católica passaram a conviver "harmonicamente" no mesmo território. Feito que em nenhum outro país foi notabilizado. Atualmente temos no mundo 16 tipos de guerras diferentes, fora os conflitos menores de características étnicas, que são substancialmente provocados pela diferença de simbologia religiosa. Algumas mais históricas, outras mais recentes, como as ocupações militares promovidas por nações belicamente mais equipadas.
O quadro é variado, mas onde teremos a mediunidade nesse turbilhão de diferenças humanas? A resposta não é tão simples quanto parece. Voltaremos ao aspecto didático desse estudo para facilitar nosso entendimento. Estudos ampliados, como os de Aksakov puderam dar grande contribuição aos fenômenos de efeitos físicos, principalmente no que concerne a médiuns brasileiros em atividade. Recentemente, participei de um seminário sobre consciência mediúnica na cidade de Porto Nacional, Tocantins, onde tive o privilégio de assistir os trabalhos psico-pictográficos através do médium Florêncio Anton, de Salvador, Bahia. Confesso que estava ansioso pelos efeitos que seriam demonstrados naquela tarde, por ocasião da vista de Florêncio e seu auxiliar, Sidney, como exemplos práticos: a mesa girante. Meu desinteresse pela mesa diminui quando Anton passou longos minutos explanando a história humana e a evolução biológica, temas que citei rapidamente no início desse estudo. Suas considerações teóricas foram de grande valor para mim, ouvindo atentamente as palavras daquele jovem demonstrando uma clareza e sensibilidade como nunca vi. A valiosa lição que tive no "Centro Caminheiros de Jesus", em Porto Nacional, deu-me motivações para escrever este tratado – sem nenhuma intenção de autopromoção ou vaidade particular – como forma de auxílio aos médiuns renitentes no estudo detalhado, como tão bem expôs Florêncio aos circunstantes. Chamou-me a atenção a abordagem política de Anton, ou seja, a verificação do meio como agente de interferências entre encarnados e desencarnados, algo que afeta a concentração de ambos nos exercícios da evolução. Meu esclarecimento sobre mediunidade é ínfimo, sendo que a mola propulsora do que aprendi, estava substancialmente nas lições valiosas de Florêncio. No plano moral, sua conduta era referencial, estava apenas "repassando conhecimento", com ele mesmo fez questão de frisar. Percebi um certo desapontamento de Anton ao questionar dados que os médiuns da casa não conheciam. Isso serviu para situá-lo e a nós, das responsabilidades do altíssimo, quando a atividade requeria devoção de santidade. Devemos tomar muito cuidado ( considerações minhas ) com o falso moralismo revestido de boas intenções. O Movimento Espírita Brasileiro precisa utilizar mais seu circunstancial histórico e sociológico para seus estudos subseqüentes na sociedade. A indagação dos setores reversos da doutrina seria sua natural "conformidade" frente aos fatos do mundo. Nós sabemos que não se trata disso. O espiritismo no mundo não é fruto de modismos intelectuais de "gente rica", mas uma forma expressiva de inovação, uma modalidade cristã abordando os aspectos da vida humana nas mais variadas formas sociais. Os espíritos ainda estão ligadas à Terra, a maioria em situações de perturbação mútua. Talvez por isso, a "divindade" e a "profanação" tenham traços fundamentalistas, criando aspectos dogmáticos. Não se trata disso, mas é importante observar o humano, que não é santo. Portanto, a formação ideológica ( intelectual ) é tão importante quanto o estado de santidade (moral) que deve ser praticado a mediunidade. Ter uma faculdade psico-orgânica notável requer abdicação – requisito número um – necessária para fazer do médium um conhecedor de sua época, seus costumes e como seus preconceitos ( nossos ) podem influenciar seu desempenho e conseqüentemente, a conscientização de outros espíritos. A única diferença das sociedades na Terra é a seguinte: uma é material. As outras, numerosamente invisíveis. As ligações são diárias, constantes. A vibração das duas dimensões é que criam os universos. Assim como desconhecemos profundamente a natureza humana, percebemos o quanto ela pode nos influenciar depois da "morte". A devoção deve ceder lugar ao estudo, criando possibilidades novas, onde possamos deixar de lado os psicologismos terrenos responsáveis por tantas intolerâncias e violências de toda espécie. Somos imperfeitos. Uns mais, outros menos, mas todos iguais perante a lei universal. Só existe uma raça: a humana. As etnias são numerosas, diferentes, de acordo com as concepções racionalistas do outro. Precisam vencer o isolamento regional ( hoje mais mental que físico ) e começar a entender um mundo tão rico culturalmente.
3) A importância do estudo anatômico e a filosofia como exercício individualizado.
Os estudos envolvendo a anatomia são vitais para o médium. É imprescindível conhecer as regiões do corpo, estrutura celular, biótipo e principalmente, organização cerebral. Este último órgão trabalha como uma antena e ao mesmo tempo, um painel de controle. Entender as etapas do metabolismo e sua contribuição à prática ectoplásmica é o exercício inicial. O manuseio deste fluído requer muita pesquisa. Embora seja literalmente orgânico, as condições morais – que também são agentes no fluído cósmico dos humanos – condicionados ao ectoplasma refletem a energia mental. Fenômenos, ou melhor, efeitos disposições de ectoplasma em sua maioria. Sua contenção atinge três estágios – sólido, líquido e gasoso. A utilização atômica das estruturas e a fortificação molecular é variante em cada indivíduo, geralmente trazendo informações mentais sobre o usuário e o usurpador energético. Somente os espíritos altamente instruídos são capazes de manuseá-lo com eficiência digna para os espíritas e espíritos. A liberação do ectoplasma pode depreender do organismo humano nas mais inusitadas situações, mas é valioso quando utilizado para trabalhos sérios.
Descreverei aqui, uma experiência que abarcou outro ponto interessante da psicologia durante o seminário sobre mediunidade: a filosofia. Ciência que remonta a Antigüidade na Grécia e personaliza nas mais interessantes formas de questionar o mundo e a existência do homem como busca de respostas ( ou dúvidas!), a filosofia é um exercício rotineiro que todos nós fazemos, direta ou indiretamente. A filosofia gerou grande status nas sociedades por intercalar e especular a metafísica ( o entreposto do homem no céu ) dando-lhe uma característica trivial ao trabalho dos médiuns: a convicção. Não é nada fácil convencer-se individualmente de algo, pior ainda, outrem. A capacidade de crédito nas manifestações psico-físicas ( tiptologia, telecinésia, psico-pictografia, mesas girantes etc. ) são tidas como genuínas por vários cientistas de todo o mundo, mas não ‘oficializada’ pela ciência oficial. As grandes universidades da Europa e Estados Unidos mantêm núcleos mais específicos de estudos sobre o espiritismo e a mediunidade. Portanto, a razão é um método que precisa constantemente filosofar. Questionamento empírico e teórico/experimental são reflexos de uma psicologia bastante filosófica, isto é, capaz de encontrar ‘verdades’ necessárias a evolução intelectual dos espíritos. Dessa forma, todo o trabalho mediúnico torna-se altamente produtivo para o mundo. O médium não conseguirá trair seus objetivos, suas ponderações enquanto observador de outros espíritos. Está intrinsecamente envolvido e é um arguto conhecedor de seu trabalho, filosoficamente falando, suas bases estarão firmes para as armadilhas da razão, dentre elas, a dúvida. Todos nós duvidamos, mas é preciso saber a ‘essência’ da dúvida. Para isso – quando formulado – ,o princípio dialético deve ser exposto, clareando o caráter do médium.
O laboratório experimental é causa obrigatória. Sem ele a teoria não funciona, portanto, os exercícios individualizados ou coletivos não são fáceis, e na maioria das vezes, cansativos e pouco atraentes. É necessário que o indivíduo se entregue literalmente ao trabalho. A doação é uma necessidade, mas nunca obrigatória. É preciso apaixonar-se pelo que se faz.
Com Anton, realizamos um laboratório bem interessante, que descreverei a seguir:
Haviam aproximadamente 40 pessoas na sala em que estávamos. Formamos duplas, que ficaram paralelamente em posição frontal, isto é, com os olhos fixos um no outro. Anton pediu que visualizássemos uma cor cada um. Em seguida pediu que tentássemos descobrir a cor que o outro imaginaria, por intermédio da concentração. Não foi nada fácil! Duas ou três pessoas no máximo tiveram êxito. "É preciso sentir e não racionalizar" – dizia Florêncio – , o esforço inicial sempre pareceria difícil. Até mesmo os médiuns da casa sentiram enormes dificuldades. O auxílio da imaginação é convincente com a generosidade – ou seja , doar sem vontade de receber. O fato de estar interino na idéia do outro por pura fama ou exibicionismo pessoal ainda é visível. De certa forma, percebi um pouco isso durante o seminário em Porto Nacional. Depois, fizemos um círculo onde todos se dirigiam a uma cadeira ao meio, a intenção era "acertar" a cor que o médium propora. Os resultados também não foram muito satisfatórios. As possibilidades foram poucas, mas o dia proveitoso e edificante. Não sou ainda um árduo estudioso da doutrina dos espíritos, mas algumas coisas em minha vida me sugerem questionar isso mais a fundo. A experiência está apenas começando.
Algumas curiosidades para o estudo inicial:
As concepções humanas:
Inatistas-maturacionistas ( concepção baseada na junção biológica dos sistemas em seu todo).
Comportamentalista (Reação antropológica do meio natural ).
Sócio-histórica (Baseada nos estudos sociais, em que o ser humano admite as duas correntes acima citadas).
Espírita (Admite todas as 03 citadas ).
Dimensões humanas:
Biológica
Psicológica
Social
Histórica
Espiritual
Shakras humanos ( pontos energéticos ):
Coronário
Frontal
Laríngio
Mesentério
Genésio ( há uma linha referencial no umbigo )
Plexos energéticos:
Pineal ou epífise
Tireóide paratireóides
Hipotálamo
Pituitária ou Biófise
" A mediunidade é uma manifestação sobretudo orgânica."Florêncio Anton
Referências bibliográficas (*):
JR., Palliano, Mirabelli – Um médium extraordinário.
Euzábia, a feiticeira. ( Estudada por Cesari Lombroso )
Kardec, Allan – ‘O Livro dos Espíritos’.
* Catalogação e edição não mencionada pelo autor do artigo por razões de pesquisa incompleta. Seria interessante, caso o leitor queira, procurar as devidas informações sobre o assunto e obras específicas em sites especializados, ou os números e obras disponíveis pela FEB – Federação Espírita Brasileira. Um bom livro de Biologia também será necessário.

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

SOBRE O HÁBITO DE SE MASCAR FOLHAS DE COCA

Principal: Ervas e Plantas Nativas
Folha de Coca: alimento para o corpo, o espírito e o coração.


Achados arqueológicos mostram vestígios de uso das folhas de coca (Erythroxylon Coca) há 2 mil anos a.C. Como diziam e dizem os cronistas da história andina, tudo se fazia e se faz com a folha de coca, desde a hora em que acordam até a hora em que dormem. Milhares de andinos elevam ao alto suas folhas de coca, seus pensamentos e sua devoção todos os dias, buscando a reciprocidade com aquela que nos dá o dom da vida, a Mãe Terra Pachamama. O ato de mascar coca se chama picchar, e a llipt'a é como uma pasta de cor escura, feita com cinza de plantas como a kañiwa (Chenopodium pallidicaule aellen), planta do altiplano boliviano e peruano, que usada junto com as folhas da coca extrai melhor suas propriedades nutrientes e curativas. A coca, uma folha de cor verde oliva, às vezes amarga, às vezes doce, para os andinos não é considerada "droga", no sentido pejorativo de dano e degeneração que conhecemos, pois para eles "droga" é o que o homem produziu com suas próprias mãos para outros fins usando uma dádiva curativa da Mãe Terra. Houve-se falar da maldição inca, de que quando o homem branco fizesse mal uso da planta sagrada, ela o destruiria, e eis que aí temos a cocaína, alterada quimicamente, destruindo muitas vidas. Os efeitos medicinais da folha da coca são como de um estimulante, além de melhorar o metabolismo, a oxigenação do sangue, a freqüência respiratória, o mal de altura (mal de puna ou soroche), diarréias, dores de cabeça, anemias, tirar a fome e ajudar em problemas estomacais. Por ser estimulante e revigorante, as folhas de coca são mastigadas pelos camponeses com o propósito de recarga das energias no duro trabalho empreendido nos campos e nas grandes altitudes. A composição da folha de coca contém fósforo, ferro, cálcio, proteínas, carboidratos, vitaminas como a A, B1, B2 e C. Os Paqos, sacerdotes andinos, usam uma chuspa, uma bolsinha de tecido ou de pele de lhama para carregar as folhas de coca. Fazem adivinhação através das folhas e também oferendas importantes para retribuir à Pachamama o dom da vida e seu sustento que vem da terra. A principal oferenda ritual chama-se k’intu que compreende três folhas de coca (ou seis, ou nove, ou mais, múltiplos de três), sendo que a maior folha é dedicada aos Apus, espíritos da natureza protetores representados nas montanhas e picos andinos. Os Apus (que em quéchua significa “Senhores”) são respeitados e invocados nos rituais. Entre eles estão: Apu Salcantay, Apu Ausangate, Apu Willkamayu, Apu Sawasiray, Verônica, Putukusi, Machu Picchu, Huayna Picchu, entre outros. A segunda folha, mediana, é dedicada à Pachamama, mãe terra, nutridora, provedora da vida. E a terceira folha, de menor tamanho, representa a humanidade. Essas folhas são consagradas com um pequeno sopro ou com o hálito, que significa o sopro de vida que todos temos dentro de nós. Se junta também as folhas a oferendas que contém tabaco, cigarros, bebidas, doces, chamadas por alguns de "pagos" ou "despachos". As folhas de coca também podem ser usadas para troca, para retribuir serviços, ou como sinal de amizade e partilha. É interessante observar, para quem já teve a oportunidade, as relações interpessoais que se estabelecem através do ato de compartilhar a coca para a mastigação. Esse ato chama-se hallpay. Marcou-me muito certa vez que tive a oportunidade de compartilhar com uma senhora campesina. Eu estava em Q'enqo, numa tarde fria e ensolarada, lendo, meditando, admirando a paisagem natural e humana, quando passa por mim há alguns metros uma senhora campesina com seus animais. Ela acomodou-se entre as pedras para descansar. Eu estava encantada com as pequenas ovelhas e me aproximei oferecendo à senhora algumas folhas de coca. Por um momento compartilhamos em silêncio enquanto mascávamos a coca, mas esse ato silencioso foi suficiente para que conectássemos a nossa energia de algum modo. Depois conversamos sobre os animais e ela agradeceu as folhas. Essa é uma situação simples, mas um simples ato de compartilhar nos aproximou. Em cada lugar que vamos é muito bonito o ato de oferecermos e compartilharmos a coca, é partilhar algo sagrado, pois a coca é um brinde à vida, um grande presente da mãe natureza àquele povo humilde, mas com tanta sabedoria. Há uma energia muito forte de identidade entre os povos andinos através das folhas de coca e é impossível dissociar um do outro. Entender o que representa a coca e seus usos, é compreender o legado ancestral, é compreender a essência desses povos que habitaram e habitam o altiplano boliviano e peruano, bem como as grandes altitudes. A conexão do povo andino com seus protetores e com a Mãe Terra é a essência de sua cosmovisão.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

ORAÇÕES À SÃO MIGUEL ARCANJO





São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate, cobri-nos com o vosso escudo contra os embustes e ciladas do demônio. Subjugue-o Deus, instantemene o pedimos. E vós, príncipe da milícia celeste, pelo divino poder, precipitai no inferno a Satanás e a todos os espíritos malignos que andam pelo mundo para perder as almas. Amém.

(EM LATIM)

Sancte Michael Archangele
Sancte Michael Archangele, defende nos in prælio; contra nequitiam et insidias diaboli esto præsidium.Imperet illi Deus, supplices deprecamur: tuque, Princeps militiæ cælestis, Satanam aliosque spiritus malignos, qui ad perditionem animarum pervagantur in mundo, divina virtute in infernum detrude. Amen.

***

Gloriosíssimo Príncipe da milícia Celeste, São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate e na luta contra os principados e as potestades, contra os dirigentes deste mundo de trevas, contra os espíritos malignos, espalhados pelos ares.Vinde em socorro dos homens que Deus criou mortais e fez à imagem da sua própria natureza e resgatou por grande preço da tirania do demônio.A santa Igreja vos venera como seu guarda e protetor, confiou-vos o Senhor a missão de introduzir na felicidade celeste as almas resgatadas.Rogai, pois, ao Deus da paz que esmague satanás sob nossos pés, a fim de que ele não mais possa manter cativos os homens e fazer mal à Igreja.Apresentai ao Altíssimo as nossas preces, a fim de que sem tardar o Senhor nos faça misericórdia, e vós contenhais o dragão, a antiga serpente, que é o demônio e satanás, e o lanceis acorrentado no abismo para que não mais seduza as nações.Amém

(EM LATIM)

Princeps gloriosissime cæléstis milítiæ, sancte Michaël Archángele, defénde nos in praélio advérsus príncipes et potestátes, advérsus mundi rectóres tenebrárum harum, contra spirituália nequitiæ, in cæléstibus. Veni in auxílium hóminum; quos Deus ad imáginem similitúdinis suæ fecit, et a tyránnide diáboli emit prétio magno. Te custódem et patrónum sancta venerátur Ecclésia; tibi trádidit Dóminus ánimas redemptórum in supérna felicitáte locándas. Deprecáre Deum pacis, ut cónterat sátanam sub pédibus nostris, ne ultra váleat captívos tenére hómines, et Ecclésiæ nocére. Offer nostras preces in conspéctu Altissimi, ut cito antícipent nos misericórdiæ Dómini, et apprehéndas dracónem, serpéntem antíquum, qui est diábolus et sátanas, et ligátum mittas in abyssum, ut non sedúcat ámplius gentes. Amen.

***




REFLEXÃO

BOM DIA MEUS IRMÃOS.
A REFLEXÃO É ALGO MUITO IMPORTANTE PARA NÓS. UMA VEZ QUE REFLETIR SOBRE UM DETERMINADO ASSUNTO EXPANDE NOSSA CAPACIDADE DE CONCENTRAÇÃO EM UMA GAMA QUASE QUE INFINITA DE PROBALIDADES, E A ANÁLISE SISTEMÁTICA DESSAS PROBALIDADES NOS LEVA A UM DENOMINADOR COMUM, QUE NO NOSSO CASO É A FÉ. DE NADA VALE O CONHECIMENTO, SE NÃO EXISTE FÉ, DE NADA VALE A CONCENTRAÇÃO SE NÃO EXISTE FÉ, A FÉ NÃO PERMITE DÚVIDAS, DISTORÇÕES OU ANALOGIAS DISCREPANTES, UMA VEZ QUE ELA SEJA CONTÍNUA, SÓLIDA E PERMANENTE. DIGO PERMANENTE PORQUE O SER HUMANO TEM A TENDÊNCIA DE SENTIR FÉ SOMENTE NOS MOMENTOS DIFÍCEIS, E NOS MOMENTOS BONS ELE TENDE A SE AFASTAR DE DEUS.
ISSO É COMPREENSÍVEL UMA VEZ QUE SOMOS FALHOS EM NOSSOS ATOS E CONCEPÇÕES, MAS ERRAR NÃO É TÃO DANOSO COMO PERSEVERAR NO ERRO. UMA VEZ QUE RECONHECEMOS O ERRO, SABEMOS SUA ORIGEM E SEU EFEITO, ENTÃO PORQUE CAÍMOS NO MESMO ERRO??
ESTE É UM DOS ERROS NOS QUAIS VIRA E MEXE NÓS CAÍMOS, UM OUTRO BEM COMUM É O PROPICIADO PELAS BARREIRAS E RESTRIÇÕES CRIADAS PELO NOSSO PRÓPRIO CÉREBRO, SÃO COMO UMA ESPÉCIE DE CÁRCERE MENTAL, QUE NOS APRISIONA E NOS IMPEDE DE PROGREDIR, DE EVOLUIR MENTAL, INTELECTUAL E ESPIRITUALMENTE.
É SABIDO DE TODOS QUE A EVOLUÇÃO E O DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL É CONCOMITANTE COM A EVOLUÇÃO MENTAL E INTELECTUAL DO MÉDIUM. UMA NÃO OCORRE SEM A OUTRA. EXISTEM MÉDIUNS QUE DEVIDO AO SEU NÍVEL ELEVADO DE CONSCIÊNCIA DURANTE A INCORPORAÇÃO CHEGAM A ACREDITAR QUE NÃO ESTÃO INCORPORADO OU MESMO NÃO ESTÃO DESENVOLVIDOS O SUFICIENTE PARA INCORPORAR UM GUIA, OU QUE SEU TRABALHE COMO O DO OUTRO MÉDIUM. ORA, SE DEVE RESPEITAR AS DIFERENÇAS EXISTENTES ENTRE OS MÉDIUNS E OS GUIAS, SENDO QUE NÃO EXISTE UM IGUAL AO OUTRO, CADA TEM SUA PARTICULARIDADE. ESTA ATITUDE DO MÉDIUM PODE VIR A LIMITAR OU ATÉ BLOQUEAR AS FACULDADES DO ESPÍRITO. O NÍVEL DE CONSCIÊNCIA PODE SER REDUZIDO ATRAVÉS DE MUITA MEDITAÇÃO E DEDICAÇÃO PARA COM A RELIGIÃO, O PRIMEIRO PASSO É ACEITAR O ESTADO DE DESENVOLVIMENTO MEDIÚNICO, PARA DAÍ GALGAR UMA EVOLUÇÃO E UM DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL MAIS ENGENDRADO COM A REALIDADE DO MÉDIUM.
A PREPARAÇÃO DO MÉDIUM VEM COM O TEMPO, COM O CONHECIMENTO SALUTAR E PRINCIPALMENTE ATRAVÉS DA FÉ, DO AMOR E RESPEITO DEMONSTRADO PELO MÉDIUM PARA COM SUA RELIGIÃO, PARA COM OS ORIXÁS, E PARA COM OS SEUS GUIAS. RESPEITANDO E CONFIANDO NO SEUS GUIAS O MÉDIUM CONSEGUE IR MUITO MAIS ALÉM DO QUE SE PODE IMAGINAR.
DEVE-SE PRESERVAR TAMBÉM A IDONEIDADE DA CASA QUE SE FREQUENTA, EVITANDO O MÉDIUM LÚCIDO, PROFERIR UM DIAGNOSTICO FALHO QUANDO ELE NÃO TEM CERTEZA DO SEU ESTADO DE INCORPORAÇÃO, ESTAS "FALHAS" DENIGREM A IMAGEM DA CASA, DA RELIGIÃO E DO PRÓPRIO MÉDIUM, A QUE SE CONTROLAR TAMBÉM O CONSUMO DE BEBIDAS ALCOÓLICAS, EVITANDO ASSIM QUE O MÉDIUM TERMINE OS TRABALHOS EMBRIAGADO.
ENFIM ESTES SÃO APENAS ALGUNS PROBLEMAS ENFRENTADOS, OU MESMO CRIADOS, PELOS MÉDIUNS AO LONGO DE SUA CAMINHADA EVOLUTIVA ESPIRITUAL. CABE AOS MESMOS PORTANTO BUSCAR SANAR E CORRIGIR ESTES OU OUTROS ATOS FALHOS, AFIM DE PROPICIAR A SÍ MESMO UMA VIDA MATERIAL E ESPIRITUAL MAIS DIGNA E CORRETA.
UM FRATERNAL ABRAÇO.
E, QUE OXALÁ ILUMINE OS VOSSOS PASSOS.
SARAVÁ.

COMUNICADO

INFORMO A TODOS OS NOSSOS ASSOCIADOS QUE, NESTE DIA 25 DE OUTUBRO, IREMOS REALIZAR NOSSA HOMENAGEM A MAMÃE OXUM, A MESMA OCORRERÁ NO MUNICÍPÍO DE ARAÇARIGUAMA. O HORÁRIO DE PARTIDA SERÁ ÀS 07:30HS, TENDO O NOSSO REGRESSO PROGRAMADO PARA AS 14:00HS. A PRESENÇA DE TODOS É FUNDAMENTAL.
ATT.:

A DIRETORIA.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

HOJE É DIA DE NOSSA SENHORA DA IMACULADA CONCEIÇÃO APARECIDA, PARA NÓS UMBANDISTAS, TAMBÉM CONHECIDA COM O SINGELO NOME DE MAMÃE OXUM. NA NOSSA DOUTRINA MAMÃE OXUM É A RAINHA DE TODAS AS ÁGUAS, AS VEZES GERA UMA CERTA CONFUSÃO COM YEMANJÁ, TAMBÉM CHAMADA DE "RAINHA DO MAR", CONTUDO, YEMANJÁ REPRESENTA A "FERTILIDADE", "A VIDA E A MORTE" TAMBÉM, E OXUM POR SUA VEZ, REPRESENTA "AS AGUÁS", ELEMENTO DA NATUREZA, UMA DAS FORÇAS DA CRIAÇÃO. RELEMBRAMOS QUE ESTA ASSOCIAÇÃO É FRUTO DO SINCRETISMO RELIGIOSO. NOSSA SENHORA APARECIDA É UMA DAS APARIÇÕES DE NOSSA SENHORA, SEGUE AGORA UM RESUMO DE SUA HISTÓRIA:

NOSSA SENHORA DA IMACULADA CONCEIÇÃO APARECIDA.
Nossa Senhora da Imaculada Conceição Aparecida é um título católico dedicado a Maria, mãe de Jesus de Nazaré. O seu santuário localiza-se em Aparecida, no estado de São Paulo, e a sua festa é comemorada anualmente em 12 de outubro. Nossa Senhora Aparecida é a padroeira do Brasil.
História
Há duas fontes sobre o achado da imagem, que se encontram no Arquivo da Cúria Metropolitana de Aparecida (anterior a 1743) e no Arquivo Romano da Companhia de Jesus, em Roma. A história foi primeiramente registrada pelo Padre José Alves Vilela em 1743 e pelo Padre João de Morais e Aguiar em 1757, registro que se encontra no Primeiro Livro de Tombo da Paróquia de Santo Antônio de Guaratinguetá.

A Pescaria Milagrosa
A sua história tem o seu início em meados de 1717, quando chegou a Guaratinguetá a notícia de que o conde de Assumar, D. Pedro de Almeida e Portugal, governador da então Capitania de São Paulo e Minas de Ouro, iria passar pela povoação a caminho de Vila Rica (atual cidade de Ouro Preto), em Minas Gerais.
Desejosos de obsequiá-lo com o melhor pescado que obtivessem, os pescadores Domingos Garcia, Filipe Pedroso e João Alves lançaram as suas redes no rio Paraíba do Sul. Depois de muitas tentativas infrutíferas, descendo o curso do rio chegaram a Porto Itaguaçu, a 12 de outubro. Já sem esperança, João Alves lançou a sua rede nas águas e apanhou o corpo de uma imagem de Nossa Senhora da Conceição sem a cabeça. Em nova tentativa apanhou a cabeça da imagem. Envolveram o achado em um lenço. Daí em diante, os peixes chegaram em abundância para os três humildes pescadores.
Início da Devoção
Durante quinze anos a imagem permaneceu na residência de Filipe Pedroso, onde as pessoas da vizinhança se reuniam para orar. A devoção foi crescendo entre o povo da região e muitas graças foram alcançadas por aqueles que oravam diante da imagem. A fama dos poderes extraordinários de Nossa Senhora foi se espalhando pelas regiões do Brasil. Diversas vezes as pessoas que à noite faziam diante dela as suas orações, viam luzes de repente apagadas e depois de um pouco reacendidas sem nenhuma intervenção humana. Logo, já não eram somente os pescadores os que vinham rezar diante da imagem, mas também muitas outras pessoas das vizinhanças. A família construiu um oratório no Porto de Itaguaçu, que logo se mostrou pequeno.
A primeira Capela
Por volta de 1734, o vigário de Guaratinguetá construiu uma capela no alto do morro dos Coqueiros, aberta à visitação pública em 26 de Julho de 1745.
Primeiros Milagres
Milagre das Velas
Estando a noite serena, repentinamente as duas velas que iluminavam a Santa se apagaram. Houve espanto entre os devotos, e Silvana da Rocha, querendo acendê-las novamente, nem tentou, pois elas acenderam por si mesmas. Este foi o primeiro milagre conhecido de Nossa Senhora, ocorrido mais provavelmente em 1733.
Caem as Correntes
Em meados de 1850, um escravo chamado Zacarias, preso por grossas correntes, ao passar pela igreja onde se encontrava a imagem, pede ao feitor permissão para rezar. Recebendo autorização, o escravo se ajoelha diante de Nossa Senhora Aparecida e reza fervorosamente. Durante a oração, as correntes, milagrosamente, soltam-se de seus pulsos deixando Zacarias livre.
Cavaleiro e a Marca da Ferradura
Um cavaleiro de Cuiabá, passando por Aparecida, ao se dirigir para Minas Gerais, viu a fé dos romeiros e começou a zombar, dizendo, que aquela fé era uma bobagem. Quis provar o que dizia, entrando a cavalo na igreja. Logo na escadaria, a pata de seu cavalo se prendeu na pedra da escada da igreja (Basílica Velha), vindo a derrubar o cavaleiro de seu cavalo, após o fato, a marca da ferradura ficou cravada da pedra. O cavaleiro arrependido, pediu perdão e se tornou devoto.
A menina cega
Mãe e filha caminhavam às margens do Rio Paraíba do Sul, quando surpreendentemente a filha cega de nascença comenta surpresa com a mãe : "Mãe como é linda esta igreja" Basílica Velha. Daquele momento em diante, a menina começa a enxergar.
O Menino no Rio
O pai e o filho foram pescar. Durante a pescaria, a correnteza estava muito forte e por um descuido o menino caiu no rio. O menino não sabia nadar, a correnteza o arrastava cada vez mais rápido e o pai desesperado pediu a Nossa Senhora Aparecida para salvar o menino. De repente o corpo do menino parou de ser arrastado, enquanto a forte correnteza continuava, e o pai salvou o menino.
O Homem e a Onça
Um homem estava voltando para sua casa, quando de repente ele se deparou com uma enorme onça. Ele se viu encurralado e a onça estava prestes a atacar, então o homem pediu desesperado a Nossa Senhora Aparecida por sua vida, e a onça virou e foi embora.
BIBLIOGRAFIA.: Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

sábado, 10 de outubro de 2009

ESCLARECIMENTO IMPORTAMENTE: HISTÓRIA DO EXÚ TRANCA RUA DAS ALMAS.

EM CONVERSA QUE EU TIVE COM O EXÚ TRANCA RUA DAS ALMAS, O MESMO ME AUTORIZOU A CONTAR SUA VERDADEIRA E ÚNICA HISTÓRIA. ESTA ATITUDE TEM POR FINALIDADE SANAR QUALQUER DÚVIDA INERENTE A ESTE CONCEITUADO GUIA E MENTOR ESPIRITUAL, ESCLARECENDO PRINCIPALMENTE QUE: SÓ EXISTE UM EXÚ CHAMADO TRANCA RUA DAS ALMAS, SENDO OS DEMAIS FALÁCIAS E MITOS, FANTASIAS DE MÉDIUNS DESPREPARADOS PARA A REALIZAÇÃO DOS CULTOS, QUE FIQUE BEM CLARO TAMBÉM, QUE ESTE TEXTO NÃO QUESTIONA A EXISTÊNCIA DA FALANGE DO “EXÚ TRANCA RUA”, PELO CONTRÁRIO AFIRMA E ATESTA A EXISTÊNCIA DA MESMA, CONTUDO O NOME TRANCA “RUA DAS ALMAS” É EXCLUSIVO E ÚNICO, NÃO TENDO SUBSIDIÁRIOS QUE SE UTILIZEM DE SEU PSEUDÔNIMO.
O “EXÚ TRANCA RUA DAS ALMAS”, QUE TEM SEU SEPULCRO NO CEMITÉRIO DA SAUDADE, LOCALIZADO NO MUNICÍPIO DE CAMPINAS, ESTADO DE SÃO PAULO, O QUAL JÁ FOI TEMA DE ASSUNTO NESTE BLOG, QUANDO EM VIDA NESTE PLANO, ERA FORMADO EM MEDICINA, EXERCIA A ATIVIDADE DE CLÍNICO GERAL, SENDO NA ÉPOCA A ATIVIDADE MAIS COMUM, DEVIDO AOS ESCASSOS AVANÇOS DA MEDICINA. COMO ELE MESMO ME DISSE: “- SOU DA ÉPOCA EM QUE SE BATIA COM UM COPO QUENTE NAS COSTAS E SE USAVAM SANGUESSUGAS PARA FAZER A SANGRIA.” ISSO EM MEADOS DO SÉCULO XIX.
NESTA CONVERSA ELE ME EXPLANOU SOBRE VÁRIOS ASSUNTOS, UM DELES. EM PARTICULAR ME CHAMOU A ATENÇÃO, QUANDO ME DISSE: “- EU ME ACHAVA MUITO IMPORTANTE E SÁBIO, QUANDO PEGUEI MEU DIPLOMA, MAS QUE NÃO SABIA NEM VALIA NADA………….QUANDO FIZ O QUE TINHA DE FAZER.”, ME EXPLICOU AINDA SOBRE A “SINDRÔME DE DEUS” QUE MUITOS MÉDICOS POSSUEM, DA ARROGÂNCIA, DA SOBERBA, DA LUXÚRIA E PODRIDÃO, DO MUNDO EM QUE VIVIAM, LONGE DO GLAMOUR ESBOÇADO PELA MÍDIA.
ME EXPLICOU TAMBÉM O PORQUE DE “TRANCA RUA DAS ALMAS”, TRANCA RUA É SOBRENOME DE FAMÍLIA, E “DAS ALMAS” PELO SEU ÊXITO NA REALIZAÇÃO DE SEUS TRABALHO, ALÉM DE SER TAMBÉM UMA EVOLUÇAO ESPIRITUAL ALCANÇADA, MAIS UM DEGRAU GALGADO NA CAMINHADA ESPIRITUAL, FATORES ESTES QUE LHE DEU RECONHECIMENTO E NOTORIEDADE, AO PONTO DE SEU NOME SER PLAGIADO E DIFUNDIDO EM INÚMEROS TERREIROS PELO PAÍS AFORA.
DISSE-ME TAMBÉM QUE O MOTIVO DE SEU MARTÍRIO FOI DAR AO PRÓPRIO PAI, O FIM DE UM SOFRIMENTO INSUPORTÁVEL, HAJA VISTA QUE, SEU PAI SOFRIA DE LEPRA, UMA DOENÇA NA ÉPOCA, FATAL E JÁ ESTAVA EM UM ESTADO TERMINAL. DESESPERADO E SOFRENDO MUITAS DORES, SEU PAI LHE PEDIU PARA QUE LHE POUPASSE DE SEU SOFRIMENTO, LHE TIRANDO A VIDA (MÉTODO HOJE CONHECIDO COMO EUTANÁSIA). EMOCIONADO COM O PEDIDO DO PAI, QUE LHE ERA MUITO PRÓXIMO E QUERIDO, ELE ASSIM O FEZ. PÔS FIM AO SEU SOFRIMENTO ATRAVÉS DE UMA INJEÇÃO LETAL.
CONTUDO COM ESTE GESTO, AOS OLHOS DE MUITOS CONSIDERADO NOBRE, ELE INCONSCIENTEMENTE INTERFERIU NOS DESÍGNIOS DO PRÓPRIO DEUS, UMA VÊS QUE ABREVIOU O SOFRIMENTO DE SEU PAI, IMPEDIU O MESMO DE QUITAR SUAS DÍVIDAS, PARA COM O CRIADOR, AGREGANDO ASSIM PARA PRÓPRIO ESTE TERRÍVEL CARMA. HOJE ELE NOS PASSA ESTA MENSAGEM: “NINGUÉM SOFRE O QUE VOCÊ TEM DE SOFRE, PODE SOFRER COM VOCÊ, MAS JAMAIS POR VOCÊ.”
NESTA CONVERSA ELE TAMBÉM ME EXPLICOU SOBRE O DITO “PREPARO” NECESSÁRIO PARA SE TOCAR UMA CASA OU MESMO UM TRABALHO, DESMISTIFICANDO A HISTÓRIA DOS ETERNOS BANHOS, É CLARO QUE ALGUNS SÃO NECESSÁRIOS SIM, MAS NÃO DA FORMA QUE MUITOS APREGOAM POR AÍ, ACREDITO EU, ELE ESTAR SE REFERINDO AOS “BANHOS DE EBÓ” QUE SÃO ORIGINÁRIOS DO CANDOMBLÉ E NÃO TÊM NADA QUE VER COM A NOSSA UMBANDA, REPUDIANDO ASSIM TAMBÉM AS OFERENDAS, DA FORMA QUE MUITOS AS FAZEM E NOS LOCAIS QUE AS FAZEM, OS POPULARES DESPACHOS OU MACUMBAS, SACRIFÍCIOS DE ANIMAIS E O RITO DE “DEITAR PRO SANTO”, QUE TAMBÉM ENCONTRA SUAS ORIGENS NO CANDOMBLÉ. SEGUNDO ELE O PREPARO VEM DA SINTONIA DO MÉDIUM COM O GUIA, ATRAVÉS DA CONCENTRAÇÃO E DO APRENDIZADO TRABALHO APÓS TRABALHO, INDO ALÉM, ELE DISSE QUE O CÉREBRO É O RESPONSÁVEL POR TUDO, DANDO COMO EXEMPLO A VISÃO, SE O SEU CÉREBRO TIVER UM PROBLEMA E SEUS OLHOS FOREM SADIOS, DE NADA LHE VALERÁ, POIS SERÁS CEGO, MAS SE EXPANDIRES SUA CAPACIDADE INTUITIVA, SENSITIVA E PRINCIPALMENTE MEDIÚNICA, SEUS OLHOS VERÃO O QUE OS OUTROS NÃO ENXERGARÃO, SENDO NECESSÁRIO PARA ISTO OCORRER, QUE O MÉDIUM SE DEDIQUE A RELIGIÃO, TENHA MUITA FÉ, E TRANSCENDA AO MÁXIMO ATINGINDO O ÁPICE DE SUAS FACULDADES MEDIÚNICAS OU SEJA ATINJA O SEU NIRVANA.
ESPERO QUE ESTE PEQUENO COMPÊNDIO SIRVA PARA ELUCIDAR, DESMISTIFICAR E PORQUE NÃO DESMASCARAR MUITAS INVERDADES E ENGODOS QUE MUITOS APREGOAM COMO VERDADES ABSOLUTAS, MAS QUE NÃO PASSAM DE FALÁCIAS, SEM A MENOR SUSTENTAÇÃO.
AGRADEÇO AO EXÚ TRANCA RUA DAS ALMAS PELA ATENÇÃO DADOS E OS ENSINAMENTOS PASSADOS.
SALVE EXÚ TRANCA RUA, QUE DEUS ILUMINE CADA VEZ MAIS VOSSA FORÇA E VOSSA LUZ.
MUITO OBRIGADO, E SARAVÁ A TODOS.

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

CONTEÚDO PROVENIENTE DA AULA DE QUINTA-FEIRA, DIA 08/10/2009.

SABEMOS QUE HOJE EM DIA A UMBANDA SOFREU MODIFICAÇÕES, ALTERAÇÕES, SIMBIOSE QUE DETURPARAM ANTIGOS PRECEITOS, ABALANDO AS PRÓPRIAS RAÍZES DA NOSSA RELIGIÃO. ESTAS ALTERAÇÕES, PODEM FACILMENTE SEREM VISTAS NOS RITUAIS, CULTOS E OUTROS ADJUNTOS DO UNIVERSO UMBANDISTA. UMA VEZ EM UM TERREIRO, DURANTE UMA VISITA, OUVI UM MÉDIUM INCORPORADO, APÓS UMA CONSULENTE INQUIRI-LO QUANTO AO SEU NOME, O MESMO RESPONDEU QUE SE CHAMAVA ...................., E QUE ERA DA "NOVA GERAÇÃO", BEM MEUS IRMÃOS, COM BASE EM NOSSOS ESTUDOS E FUNDADOS EM NOSSA DOUTRINA, TENDENCIAMOS A DESACREDITAR DE TAL SITUAÇÃO. UMA VEZ QUE, SABEMOS QUE OS ESPÍRITOS ESTÃO EM CONSTANTE EVOLUÇÃO, SEGUEM UMA ESTRUTURA HIERÁRQUICA RÍGIDA, TODA VEZ QUE UM GUIA DE UMA LINHA, EVOLUÍ, ELE AUTOMATICAMENTE PROPORCIONA A EVOLUÇÃO DE OUTROS ESPÍRITOS, ESTENDENDO ESTA EVOLUÇÃO AO NÍVEL DAS FALANGES E SUB-FALANGES.

SABEMOS TAMBÉM QUE AS SUB-FALANGES POSSUEM UMA GAMA PRÓXIMA AO INFINITO, QUANDO SE TRATA DE QUANTIDADES E NÚMEROS, É CONHECIDO DE NÓS TAMBÉM QUE OS GUIAS ESPIRITUAIS TRABALHAM CONSTANTEMENTE E NÃO SOMENTE QUANDO ESTÃO "INCORPORADOS", ACREDITAMOS QUE ALGUNS NOMES DADOS EM TERREIROS MUNDO A FORA, NÃO SÃO FRUTO DA AÇÃO DE ESPÍRITOS ZOMBETEIROS OU OBSESSORES, MAS SIM FRUTO DA CONSCIÊNCIA DE MÉDIUNS CONSCIENTES DESPREPARADOS PARA UM INCORPORAÇÃO COMPLETA, DANDO VAZÃO A EMOÇÕES E SENTIMENTOS ALHEIOS A VERDADEIRA IDENTIDADE DO GUIA, MISTIFICANDO E ALIMENTANDO ALGO QUE NÃO EXISTE. ESTA ATITUDE, TAMBÉM CONHECIDA NA GÍRIA POPULAR COMO "EQUE", INFELIZMENTE É MAIS COMUM DO QUE IMAGINAMOS, DIGO INFELIZMENTE, PORQUE ELA VAI JUSTAMENTE EM DETRIMENTO DA NOSSA RELIGIÃO.

ESTA DETURPAÇÃO DA MEDIUNIDADE, SIM POIS O MÉDIUM PODE TAMBÉM SUGESTIONAR À ENTIDADE, DE MODO A MODIFICAR SUA POSTURA, SUA FALA, INTERFERINDO NA INTERLOCUÇÃO COM UM CONSULENTE, RISCANDO UM PONTO TROCADO, DANDO UM NOME FOLCLÓRICO OU MESMO FANTASIOSO PARA SUA PRÓPRIA ENTIDADE. ESTES LAMENTÁVEIS FATOS POSSUEM UMA GRANDE VARIAÇÃO, CHEGANDO ÀS VEZES A PASSAR DESAPERCEBIDOS, SE NÃO HOUVER NINGUÉM PRESTANDO ATENÇÃO, É CLARO. IMAGINE QUE SE O MÉDIUM ESTIVESSE REALMENTE CONCENTRADO E PREPARADO PARA RECEBER UMA INCORPORAÇÃO, POR MAIS CONSCIENTE QUE ELE SEJA, ELE NÃO VAI ERRAR O NOME DO SEU CABOCLO, OU MARCHAR COMO UM SOLDADO SOMENTE PORQUE ESTÁ INCORPORADO COM UM CABOCLO DE OGUM, NEM FICARIA EMBRIAGADO AO TÉRMINO DE UM TRABALHO, MUITO MENOS DARIA UM DIAGNÓSTICO ERRADO E ABSURDO A UM CONSULENTE.

TEMOS QUE ENTENDER O SEGUINTE; NÓS SOMOS QUEM NÓS SOMOS, REPRESENTAMOS NOSSA CASA LOGO DEVEMOS HONRÁ-LA COMO TAL, FALHAS PODEM OCORRER, POIS TODOS NÓS ERRAMOS EM DADOS MOMENTOS DE NOSSAS VIDAS, E ERRAR FAZ PARTE DO PROCESSO DE EVOLUÇÃO E APRENDIZADO, O QUE DIFERE É A INTENSIDADE, FREQUÊNCIA E GRAVIDADE COM QUE ERRAMOS.

ESTAS ATITUDES AFASTAM OS GUIAS DE NÓS, É POR ISSO QUE EXISTEM GUIAS QUE Á MUITO NÃO VÊEM EM TERRA, NÃO PORQUE EVOLUÍRAM OU REENCARNARAM, NÃO, SUMIRAM PELO SIMPLES FATO DOS MÉDIUNS NÃO OS ACEITAREM, NÃO OS COMPREENDEREM E NÃO ESTAREM PREPARADOS PARA ELES. ESTA PREPARAÇÃO TEM QUE SER INICIADA PELO PRÓPRIO MÉDIUM, POIS SE O MÉDIUM NÃO SE INTERESSA, NÃO SE DEDICA, NÃO BUSCA UMA EVOLUÇÃO MENTAL E INTELECTUAL, NÃO FAZ POR ONDE AGRADAR E AGRADECER SEUS GUIAS E AO CONTRÁRIO FAZ TUDO QUE NÃO DEVERIA FAZER: SUGESTIONA, RECLAMA, ESTÁ RELAPSO AOS ACONTECIMENTOS INERENTES A SUA MISSÃO, ADENTRAM NO CONGÁ CARREGADOS DE TORMENTOS E AFLIÇÕES DO MUNDO EXTERIOR, COMO POR EXEMPLO A FALTA DE DINHEIRO, ASSUNTOS AMOROSOS E OUTROS TEMAS QUE NÃO FAZEM PARTE DA MISSÃO ESPIRITUAL, MUITAS VEZES DESCONFIAM DE SUAS PRÓPRIAS ENTIDADES QUERENDO QUE ELAS AJAM E SEJAM QUEM ELE QUER QUE ELAS SEJAM, POSTO ESTA SITUAÇÃO O ZELADOR DE SANTO, OU DIRIGENTE ESPIRITUAL, FICA COMPLETAMENTE ENGESSADO PERANTE O QUADRO CAÓTICO APRESENTADO. POR ISSO DIGO O PRINCÍPIO DA PREPARAÇÃO TEM DE OBRIGATORIAMENTE PARTIR DO PRÓPRIO MÉDIUM. AS ENTIDADES DOS MÉDIUNS QUE PRATICAM ALGUNS DESTES ATOS, TAMBÉM SE AFASTAM, PROPICIANDO AO MÉDIUM UMA SÉRIE DE TRANSTORNOS. É FUNDAMENTAL QUE O MÉDIUM RESPEITE AS DOUTRINAS ESPIRITUAIS, A DOUTRINA DA UMBANDA E A DA PRÓPRIA CASA QUE ELE FREQUENTA, RESPEITAR SEU ZELADOR, SEUS GUIAS, E SEUS IRMÃOS, FAZER POR ONDE MERECER E SOBRETUDO TER MUITA FÉ, A INABALÁVEL E INQUESTIONÁVEL FÉ NA UMBANDA. SUGIRO QUE VOCÊS PESQUISEM OS TEMAS ABAIXO:
  • MEDIUNIDADE
  • SINCRETISMO RELIGIOSO

A TODOS ASSOCIADOS

INFORMAMOS QUE POR DETERMINAÇÃO DE NOSSO MENTOR ESPIRITUAL, O DR. JOSÉ APARECIDO DA SILVA (VULGO ZÉ PELINTRA DO BORÉO), TODOS OS TEMAS ABORDADOS NAS AULAS DE QUINTA-FEIRA, ESTARÃO DISPONÍVEIS NESTE BLOG ACRESCIDOS DE MATERIAL COMPLEMENTAR. ISTO FACILITA A DIVULGAÇÃO DO BLOG, E ABRE MAIS UM LEQUE PARA O APRENDIZADO. COMO ONTEM A AULA FOI DE CERTA FORMA ABREVIADA POR MOTIVOS DE FORÇA MAIOR, O CONTEÚDO NÃO É MUITO EXTENSO, PORÉM DEIXAREI ALGUNS TÓPICOS QUE VOCÊS PODEM PESQUISAR, TRAZENDO SUAS DÚVIDAS PARA A PRÓXIMA QUINTA-FEIRA.

OBRIGADO.

INFORMARMATIVO

"CAROS IRMÃOS, O MATERIAL DE ESTUDO PROVENIENTE DAS AULAS DE ONTEM, AINDA NÃO ESTA DISPONÍVEL NO BLOG, MAS EXISTE MUITO MATERIAL NOVO NÃO LIDO. ATÉ AS 18:00HS, DO DIA DE HOJE, O CONTEÚDO DE ONTEM JÁ ESTARÁ DISPONÍVEL".

ABRAÇOS.

SARAVÁ.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

DE INTERESSE AOS NOSSOS ASSOCIADOS E MEMBROS.

NO DIA 03 DE JULHO, DESTE ANO ENVIAMOS UM EMAIL AO SOUESP, QUESTIONANDO ALGUNS FATOS QUE VEEM OCORRENDO, INFELIZMENTE COM UMA CERTA FREQUÊNCIA EM NOSSO MEIO UMBANDISTA. CONTUDO, NÃO RECEBEMOS RESPOSTA ALGUMA DO SOUESP, ENTÃO DECIDIMOS PUBLICAR UMA CÓPIA DO CONTEÚDO DO EMAIL AQUI, COM A FINALIDADE DE INFORMAR AOS NOSSOS ASSOCIADOS QUE, MEDIDAS FORAM TOMADAS, CONTUDO NÃO FORAM CORRESPONDIDAS. SEGUE CÓPIA DO MATERIAL ENVIADO AO SOUESP:
ASSOCIAÇÃO ESPÍRITA SÃO MIGUEL ARCANJO
IGREJA ESPÍRITA CRISTA MAIOR DE SÃO MIGUEL ARCANJO
CARAPICUÍBA, TRÊS DE JULHO, DE DOIS MIL E NOVE, ANO CORRENTE DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

BOM DIA!

SENHORES DIRIGENTES, DESTA RESPEITADA INSTITUIÇÃO (SOUESP), DEVIDO A UMA SÉRIE DE FATOS SOMBRIOS E OBSCUROS QUE VEM ACONTECENDO NA NOSSA UMBANDA, PRINCIPALMENTE NA NOSSA REGIÃO (MUNICÍPIO DE CARAPICUÍBA E ADJACÊNCIAS) GOSTARIA DE SABER QUAIS AS PROVIDÊNCIAS QUE CABEM A VOSSA INSTITUIÇÃO, COMO SENDO O SUPERIOR ÓRGÃO DE UMBANDA DESTE ESTADO, QUANTO A FISCALIZAÇÃO RELATIVA AO FUNCIONAMENTO DOS TERREIROS, OU SE ESTES SÃO SUBORDINADOS AS RESPECTIVAS FEDERAÇÕES REGIONAIS, SE ESTE FOR O CASO, DE QUE FORMA AGEM SOBRE ESTAS FEDERAÇÕES. DIGO ISTO POSTO QUE, UMA SÉRIE DE FATORES ESTÃO ESTIRPANDO NOSSAS RAÍZES, E OFUSCANDO O SAGRADO BRILHO DA UMBANDA, JOGANDO-Á A SARJETA. TEMO QUE NUM FUTURO NÃO MUITO DISTANTE, O MITO DE QUE A UMBANDA É ORIUNDA DE UM DESDOBRAMENO DA RELIGIÃO AFRO-BRASILEIRA, DENOMINADA “CANDOMBLÉ” SE PROPAGUE, AO PONTO DE SE TORNAR UMA PSEUDO VERDADE, PONDO POR TERRA A INTENÇÃO E DESEJO DO SAGRADO CABOCLO DAS SETE ENCRUZILHADAS, FUNDADOR DE NOSSA RELIGIÃO.
TEMO ISTO DEVIDO A CONSTANTE SIMBIÓSE QUE OCORRE ENTRE ESTAS DUAS RELIGIÕES DISTINTAS, DEVIDO AO POUCO CONHECIMENTO SOBRE A UMBANDA E O CANDOMBLÉ, DANDO ORIGEM ASSIM, A LINHAS QUE NUNCA EXISTIRAM NA UMBANDA, HAJA VISTA QUE A UMBANDA É DETENTORA DAS SETE LINHAS SAGRADAS, E O CANDOMBLÉ POR SUA VEZ POSSUA DEZENOVE ORIXÁS.
NÃO QUESTIONO A CRENÇA DE NINGUÉM, VISTO ESTA ESTAR SALVAGUARDADA PELA NOSSA CONSTITUIÇÃO, PORÉM O QUE QUESTIONO É A UTILIZAÇÃO DO TERMO UMBANDA EM TERREIROS, TENDAS E AFINS, NA QUAL A PRÁTICA REALIZADA SÓ TEM O NOME DE UMBANDA, MAS OS CONCEITOS E TRABALHOS SÃO DE OUTRAS ORIGENS, QUE A NOSSA.
TEMO TAMBÉM QUES ESTES FATOS NÃO VENHAM OCORRENDO SOMENTE NESTA REGIÃO, MAS ABARQUEM TODO NOSSO PAÍS, O QUE SERIA CATASTRÓFICO.
QUESTIONO TAMBÉM, A MATANÇA DE ANIMAIS, PRÁTICA EM MUITOS TERREIROS, ORA SE A UMBANDA NÃO APREGOA TAL PRÁTICA, E ATÉ ENTENDO QUE ESTA PRÁTICA É MUITO COMUM NO CANDOMBLÉ, PORQUE AINDA EXISTEM TERRREIROS QUE A REALIZAM EM NOME DA UMBANDA, INDO ALÉM LHES QUESTIONO, A QUEM CABE TAL FISCALIZAÇÃO?
NO NOSSO ENTENDIMENTO, ESTA PRÁTICA NÃO AGREGA EM NADA VALORES A NOSSA RELIGIÃO, E PELO CONTRÁRIO, DENIGRE NOSSA IMAGEM NOS DESVALORIZANDO COMO RELIGIÃO, COLOCANDO A SAGRADA UMBANDA BRANCA NO MESMO PATAMAR DAS SEITAS PAGÃS DE SÉCULOS ATRÁS.
DA MESMA FORMA, A COBRANÇA FINANCEIRA EFETUADA NA REALIZAÇÃO DE SUPOSTOS TRABALHOS DE “AMARRAÇÃO” OU PARA “ABRIR OS CAMINHOS”, OU MESMO A COBRANÇA DE UMA SIMPLES CONSULTA COM UM GUIA ESPIRITUAL QUALQUER, NOS FAZENDO PARECER MERCENÁRIOS DA FÉ, NO QUAL QUEM TEM MAIS DINHEIRO, TEM MAIS OPORTUNIDADES. NO NOSSO ENTENDER ESTAS PRÁTICAS DEVEM SER COIBIDAS, UMA VEZ QUE SÃO O OPOSTO DOS FUNDAMENTOS DA UMBANDA, PAZ, AMOR E HUMILDADE. NOVAMENTE REINTERO QUE NÃO QUESTIONO A CRENÇA DAS DEMAIS PESSOAS, QUESTIONO SIM O PORQUE DESTAS PESSOAS MUITAS VEZES UTILIZAREM O SAGRADO NOME DA UMBANDA.
SE A UMBANDA É SABIDAMENTE UMA RELIGIÃO GENUINAMENTE BRASILEIRA, TENDO SUA ORIGEM NAS CULTURAS AMERÍNDIAS, ENTRE ELAS A PRÁTICA DA PAJELANÇA, FUNDADA POR UM CABOCLO, TENDO EM SUAS FILEIRAS A AGLUTINAÇÃO DE VÁRIOS PÓVOS, DEVIDO A MISSIGENAÇÃO RACIAL OCORRIDA EM NOSSO PAÍS, SITO COMO EXEMPLO O CASO DOS PRÓPRIOS PRETOS VELHO, QUE MESMO SENDO DE ORIGEM AFRICANA NÃO FORAM ACEITOS NO CANDOMBLÉ, QUE ESTES OS DENOMINAM DE “CATIÇOS”, E ACEITAM SOMENTE OS SEUS ORIXÁS, PARA REALIZAREM SEUS TRABALHOS. E SE O CANDOMBLÉ É SABIDAMENTE DE ORIGEM AFRICANA, CUJO OS CONCEITOS, PRECEITOS E MODO OPERANDIS NÃO CABE A NÓS JULGAR OU TENTAR CONCEITUAR, UMA VEZ QUE SOMOS UMBANDISTA, GOSTARIA QUE EXPLICASSE O PORQUE DESTA SIMBIOSÉ, JÁ QUE SE TRATA DE RELIGIÕES DIFERENTES E INDENPENTES UMA DA OUTRA, E O PORQUE DA UTILIZAÇÃO DO NOME “UMBANDA” EM LOCAIS ONDE A PRATICA DIFERE EM MUITO DO CONCEITO E FUNDAMENTO?
GOSTARIAMOS MUITO DE OBTER UMA RESPOSTA, UMA VEZ QUE A VERDADEIRA UMBANDA PEDE SOCORRO, E TEMEMOS QUE ESTE GRITO DE AJUDA NÃO SEJA OUVIDO, SELANDO ASSIM O FIM DA ÚNICA RELIGIÃO GENUINAMENTE BRASILEIRA.
SEGUE ABAIXO UM TEXTO DE AUTORIA DO MÉDIUM ULISSES JÚNIOR, DA CASA DE CARIDE CABOCLO ROMPE-NUVEM, SITUADA EM JACAREPAGUÁ, ESTADO DO RIO DE JANEIRO, DO QUAL COMUNGAMOS DO MESMO PENSAMENTO RELATIVO AO TEMA “MATANÇA DE ANIMAIS NA UMBANDA”:


“Não existe sacrifício de animais na Umbanda”
“Matança”“Antes de falar sobre esse assunto, faz-se necessário entendermos alguns tópicos:A Umbanda foi, também, influenciada por cultos trazidos pelas diversas nações africanas que aportaram no Brasil colônia. Essas nações em sua terra natal cultuavam seus Orixás com sacrifícios de animais. É interessante ressaltar que os cultos originais quando chegaram ao Brasil (Bahia) sofreram modificações, originando os candomblés. De toda cultura dos candomblés, a Umbanda posteriormente quando se formou, absorveu somente os nomes dos Orixás, as ligações com a natureza e o uso dos atabaques.Umbanda: religião brasileira, fundada pelo Caboclo das Sete Encruzilhadas, através de seu médium Zélio Fernandino de Moraes (Niterói/1908), não utilizava de forma alguma sangue animal em qualquer de seus rituais.Conclui-se então, através disso, que na Umbanda (como religião autentica) não existiu, existem ou existirão vínculos com a famosa “matança”.Mas porque será que vemos por aí casas que se dizem de Umbanda nas quais a matança existe?Responderei com sinceridade.Por mistura, por modificação, por falta de cultura religiosa... pois em Umbanda que é Umbanda, o único bicho que deve existir vivo é o homem. Misturaram Umbanda com Candomblé, os “umbandomblés” da vida, que são Umbanda porque querem trabalhar com Caboclos e Pretos-Velhos e Candomblés porque não querem largar hábitos primitivos.Até entendemos o fato que, nos primórdios, tribos africanas com mentalidades de épocas faziam isso, contudo hoje, em dias atuais, em pleno ano de 2007 (já no século XXI), não podemos admitir tais coisas praticadas há 1000 anos atrás. Seria o mesmo que usássemos ainda roupas medievais, fizéssemos sacrifícios humanos como os Astecas ou que queimássemos pessoas em fogueiras dizendo serem hereges por não professarem nossa religião. Ou seja, evoluímos para muitas coisas que nos convém e para outras não?A visão da Umbanda verdadeira sobre o uso de animais, sangue animal, bifes de carne, porco e fígado, entranhas e vísceras em geral dentro de cultos religiosos é contrária e preventiva pelos vários motivos. Apresentarei somente os três principais:Nenhum ser evoluído de um plano espiritual superior necessita ou gostaria de ver um animal inocente sendo sacrificado para si. A troco de que? Proteção? Você mataria seu cachorro querido para algo que se diz ser Ogum? Que Ogum é esse?Sangue animal possui padrão energético baixíssimo, o que carrega o ambiente e as pessoas de negatividades densas e pesadas que lá na frente vão se manifestar em uma série de doenças físicas e psíquicas, além de afastar Entidades de luz, fazendo com que o médium passe a entrar em contato com seres do baixo astral (quiumbas), em mistificações indiretas, ou ainda, em mistificações diretas e animismos.Na aura, essa energia age de forma “cristalizadora”, bloqueando os centros de força (chakras), criando verdadeiros “buracos” e atraindo para eles larvas e sangue-sugas espirituais, o que faz com que a pessoa fique constantemente enfraquecida, sendo necessário quase sempre fazer mais e mais trabalhos para que possam alimentar esses parasitas espirituais. Some daí temporariamente esse enfraquecimento, dando sensação de que o mal foi cortado.Podemos observar que mexer com esse tipo de magnetismo (animal) não é nada positivo, satisfatório e fere os princípios de uma espiritualidade superior. Há com certeza muitos médiuns, dirigentes e principalmente obsessores que gostam e se afinam com energias negativas por serem e vibrarem espiritualmente com seus iguais. Respeitamos seu livre-arbítrio. Respeitamos o caminho e rumo que cada um gosta de dar à sua mediunidade, que é um dom de Deus. Respeitamos, mas não serve para nós, pois temos a certeza absoluta através de nosso discernimento, inteligência e contato com nossas Entidades, que existem mais que 1001 maneiras de se atrair uma vibração, seja pela manipulação de ervas, essências, cores, cristais, velas, bebidas, frutas, fumo, legumes, luas, pontos cardeais, sons e etc. Todas com muita força quando há necessidade e banhadas de vibrações sutis, elevatórias, revitalizantes e o melhor de tudo, positivas. Positividade é sinônimo de evolução.Para finalizar, digo com pureza d’alma que a força que dizem possuir o sacrifício de uma, duas, vinte ou cinqüenta galinhas por aí, pode ser encontrada muitas vezes em uma simples prece com uma vela e um copo de água ao lado, tendo dentre os vários benefícios a garantia de que, com o passar do tempo, os efeitos colaterais serão positivos.”Ulisses Júnior é médium há 7 anos da Casa de Caridade Caboclo Rompe-Nuvem, situada em Jacarepaguá/RJ.
Ulisses Júnior
Publicado no Recanto das Letras em 14/04/2008Código do texto: T945021


AGRADECEMOS A ATENÇÃO, O QUE FAZEMOS E FALAMOS, MOSTRA QUEM SOMOS, POR FAVOR …………..NÃO DEIXEM A NOSSA UMBANDA MORRER………..DEIXEM A NOSSA SAGRADA UMBANDA MELHORAR……..




OBRIGADO, FIQUEM NA PAZ DE TUPÃ E OXALÁ.


ATT.:

ASSOCIAÇÃO ESPÍRITA SÃO MIGUEL ARCANJO.

COMO PODEM VER, FIZEMOS NOSSA PARTE, INFELIZMENTE NÃO FOMOS CORRESPONDIDOS, SARAVÁ A TODOS.